Pampa: O 2º bioma mais devastado do Brasil

O curso de Ciências Biológicas da URI Santo Ângelo promoveu neste mês a palestra “Bioma Pampa: um ecossistema negligenciado”, ministrada pela egressa do curso de Ciências Biológicas da...

638 0

Viver - biologia- bioma Pampa- barba de bode (Copy)

O curso de Ciências Biológicas da URI Santo Ângelo promoveu neste mês a palestra “Bioma Pampa: um ecossistema negligenciado”, ministrada pela egressa do curso de Ciências Biológicas da URI Santo Ângelo, doutora em Botânica pela UFRGS, Cleusa Vogel Ely.

Organizada pela professora Núbia Cristina Weber Freitas, na disciplina de Botânica V, a palestra aconteceu de forma síncrona, por meio da ferramenta google meeting e registrou alto percentual de participação.

Em sua fala, a palestrante explanou a preocupação urgente que o bioma pampa requer. Segundo a doutora Cleusa, sendo restrito ao Rio Grande do Sul, é o segundo bioma brasileiro mais devastado e o que menos possui áreas protegidas no Brasil.

“O Pampa pode parecer homogêneo aos olhos desatentos de quem não o conhece, observou a palestrante, mas em sua pequena extensão podemos encontrar uma rica diversidade de espécies. Em apenas 1 m² do Pampa foram registradas 56 espécies de plantas, o que constitui um número de espécies muito grande para uma área tão pequena. Algumas dessas plantas, como é o caso da Cypella hauthalii e da Kelissa brasiliensis, constam na Lista da Flora Gaúcha Ameaçada de Extinção e podem ser encontradas apenas em regiões muito devastadas do Pampa”.

A professora Núbia destacou a importância de trazer aos alunos de Botânica V e demais alunos do curso, em tempos de pandemia, pesquisas atualizadas na busca de potencializar o conteúdo da disciplina e conhecimentos relacionados, com utilização de ferramentas online em tempo real.

Viver - Bioma Pampa (Copy) viver - biologia - palestra remota bioma pampa (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa