Acidentes cotidianos

Diariamente equipes móveis de socorro e do plantão no Hospital Santo Ângelo estão atendendo pessoas envolvidas em acidentes, dos mais variados tipos.

741 0

IMG_2444Imprudência, sinalização inadequada e falta de fiscalização podem estar por trás de um sistema de trânsito que alimenta hábitos, pouco seguros nos santo-angelenses. Diariamente equipes móveis de socorro e do plantão no Hospital Santo Ângelo estão atendendo pessoas envolvidas em acidentes, dos mais variados tipos.
Ontem, por volta das 8h30min um automóvel fiesta com placa de Santo Ângelo descia pela Av. Salgado Filho com a XV de Novembro e chocou-se com um Honda City de Porto Xavier, com o choque um dos veículos foi arremessado contra a residência da esquina quebrando os vidros e avançando para o pátio da casa.
Foi a segunda vez em menos de um ano que aconteceu tal fato no mesmo local. A alta velocidade que os veículos trafegam na Av. Salgado Filho e a visibilidade prejudicada dos motoristas que pretendem realizar a conversão e a travessia da via são os principais problemas detectados naquele local. Horas após, ao meio-dia, uma pedestre foi atropelada enquanto atravessava uma faixa de segurança na Av. Getúlio Vargas, esquina com a Rua Santa Rosa. Tanto a pedestre, quanto a motociclista ficaram feridas, inclusive com fraturas pelo corpo.
A quantidade de faixas de pedestre implantadas na Av. Getúlio Vargas pode estar em contradição com o hábito dos motoristas de Santo Ângelo. A velocidade do fluxo impresso pela maioria dos motoristas pode estar acima do recomendado para a via e toda vez que um condutor para na faixa, ou um pedestre faz uso de seu direito, estão colocando em risco as suas vidas e de seus familiares.

Audiência Pública 
O Conselho Estadual de Trânsito do RS (CetranRS) realiza nesta quinta-feira, dia 26, com início as 8h uma audiência pública em Santo Ângelo para coletar junto à comunidade do Noroeste do Estado suas sugestões para a melhoria do trânsito no Rio Grande do Sul. A audiência será realizada no salão Azul da Faculdade CNEC.
O evento, que abrange também os municípios de Santo Ângelo, Santa Rosa, São Borja, Itaqui e Ijuí é o primeiro de uma série que até julho será reprisado em Porto Alegre, Caxias do Sul, Pelotas, Santa Maria e Passo Fundo. A audiência está sendo realizada para dar cumprimento da lei federal 13.614/18, que instituiu o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), cuja meta é reduzir pelo menos à metade, em dez anos, o índice de mortes no trânsito em relação a 2018.
Nessas ocasiões, serão ouvidos gestores de trânsito municipais, pesquisadores, entidades representativas das áreas de trânsito e mobilidade e também qualquer cidadão interessado no tema que deseje participar.
Em agosto, o CetranRS encaminhará esses resultados para o Conselho Nacional de Trânsito, que estabelecerá, a partir de informações oriundas de todo o País, as metas para o período setembro 2018 a setembro 2019. Esse documento tem sua divulgação prevista para a Semana Nacional de Trânsito, que transcorre entre 18 e 25 de setembro.

Neste artigo

Participe da conversa