Semana de calor, umidade e novos mosquitos

Período de umidade e calor em Santo Ângelo aumenta a possibilidade de multiplicação do “Mosquito da Dengue”. Mesmo período em que ocorre em todo o território brasileiro a...

1012 0

Água parada (Copy)O calor e as chuvas regulares registradas em Santo Ângelo estão beneficiando a proliferação do Aedes Aegypti (Mosquito da Dengue). O último “Levantamento Rápido do Índice de Infestação” do mosquito foi aferido em outubro e já indicava 1.92, constatando que a infestação predial está em situação de alerta. Há previsão de chuva para quarta, quinta, sexta e sábado, embora não esteja previsto um volume expressivo, a perspectiva é de umidade e calor durante toda a semana, contexto que colabora para aumentar ainda mais o índice.
A cidade conta com uma equipe para combater o mosquito de 29 pessoas, sendo que 24 delas trabalham na fiscalização, monitoramento e combate ao mosquito. Segundo a Coordenadora do Departamento Selenir Arruda, os agentes realizam visitas regulares em residências para orientar e detectar possíveis focos de proliferação, mas ela relata que uma quantidade elevada de residências se mantém fechado durante as vistorias o que dificulta o acesso dos agentes.
Na última terça-feira, dia 26, foi realizada uma ação de combate ao mosquito com colocação de inseticida no Cemitério Sagrada Família e, segundo a “chefe” do departamento, outras ações pontuais em borracharias e ferros velhos serão intensificadas neste período.
Além da água da chuva que se acumula em qualquer objeto. O hábito de usar piscinas infláveis, de lona ou plásticas também é um fator que pode contribuir para a proliferação do Mosquito, pois caso a família esqueça ou negligencie a retirada da água, em poucos dias as larvas já aparecem.

A Semana Nacional de Combate ao Aedes
A Semana Nacional de Combate ao Aedes é uma orientação nacional. Em todo o Brasil está sendo realizada até a próxima sexta-feira, dia 30, uma série de atividades de conscientização e combate ao mosquito, sendo a sexta-feira o dia “D” da campanha.
Estados e municípios já foram orientados pela Sala Nacional de Coordenação e Controle do ministério para que promovam nas comunidades atividades instrutivas sobre a importância do combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.
“O verão é o período que requer maior atenção e intensificação dos esforços para não deixar o mosquito nascer. No caso da população, além dos cuidados, como não deixar água parada nos vasos de plantas, é possível verificar melhor as residências, apoiando o trabalho dos agentes de endemias. Esses profissionais utilizam técnicas simples e diferenciadas para vistoriar as casas, apartamentos e espaços abertos”, explica o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Divino Martins.

 

Neste artigo

Participe da conversa