Volume de chuva deixa região das Missões em alerta

Chuva persistente e volumosa marcou o início do mês de setembro em Santo Angelo. Na segunda feira, dia 04, choveu 155 milímetros em 24 horas, somando ao que...

3750 0

Chuva persistente e volumosa marcou o início do mês de setembro em Santo Angelo. Na segunda feira, dia 04, choveu 155 milímetros em 24 horas, somando ao que já havia precipitado desde a sexta-feira, dia 1º, totalizou 320 milímetros de chuva. 

Cheia do Rio Ijuí 2_capa (Copy)
Essa foto foi divulgada na edição 2517 de 08 de setembro do Mensageiro, como sendo da ponte que divide Santo Ângelo e Entre-Ijuís, porém, não condiz com a realidade. Embora o Rio Ijuí tenha apresentado o maior nível desde 2017, não chegou até proximidades da pista. De um modo geral, os dados da matéria como volume de chuva e demais informações, são reais, no entanto, a água do Rio Ijuí, no ponto de medição homologado pela ANA – Agência Nacional de Águas, que fica justamente próximo da ponte, mostra que alcançou a marca de 6 metros e 32 centímetros. Nível semelhante ao registrado no ano de 2017, quando foi até 6,50m. Vale registrar que em 2020, o nível mais alto alcançado foi 6,18m, em 2022 de 4,36. O vídeo que circulava foi desmentido pela Polícia Rodoviária Estadual.

Os 320 milímetros de chuva fez com que o Rio Ijuí chegasse muito próximo da pista de rolamento da ponte que divide Santo Ângelo e Entre-Ijuís. Os dados de medição no sistema de telemetria da Agência Nacional de Águas, ainda não puderam ser atualizados, mas as imagens já indicam um volume de chuva atípico, semelhante às maiores cheias da região, o sol e o termino da chuva foi providencial para não agravar a situação na região.

Embora o município de Santo Ângelo não tenha problemas severos com enchentes e alagamentos, a defesa civil se manteve em alerta, pois os córregos que cruzam a zona urbana, em alguns locais conhecidos e pontuais, causam transtornos para os moradores ribeirinhos.

Conforme o diretor da Defesa Civil, Paulo da Rosa, a chuva gerou alagamentos em residências no Bairro Indubras e na Travessa Lopes do Bairro Pippi. “O nível do rio Itaquarinchim se manteve em elevação durante o período chuvoso e acendeu sinal de alerta”

Paulo da Rosa informou que foi registrada queda de granizo nas localidades de Rincão dos Roratto, Comandaí, Sossego e Santa Rita, gerando danos na cobertura das residências, necessitando da disponibilização de lonas.

As pessoas afetadas por algum transtorno estão sendo cadastradas no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) do Centro Social Urbano do Bairro Sepé, no entanto não há, até o momento, pessoas desalojadas.

Defesa civil - 03 (Copy) Defesa civil - 02 (Copy) Defesa civil - 01 (Copy)

O sinal de alerta continua na região das Missões

Segundo a avaliação da METSUL – Meteorologia moradores devem se manter em alerta, somando a chuva prevista para quinta e sexta-feira, dia 8, pode acumular mais 50 milímetros o que é considerada uma chuva significativa, principalmente ao considerar o volume que já incidiu na região.

O ponto crítico será estes dois dias, pois, já no sábado, a previsão é de apenas 2,8 milímetros, com o sol já predominando no domingo e segunda-feira. A chuva pode retornar entre terça e quarta da próxima semana.

Neste artigo

Participe da conversa