Projeto une escola e universidade em torno da “Sustentabilidade e Segurança Alimentar”

Estudantes da Escola da URI aprendem técnicas de uso da terra para cultivar alimentos, ervas medicinais e aromáticas. Turmas dos anos iniciais deram início à implementação do projeto...

914 0

Estudantes da Escola da URI aprendem técnicas de uso da terra para cultivar alimentos, ervas medicinais e aromáticas. Turmas dos anos iniciais deram início à implementação do projeto “Sustentabilidade e Segurança Alimentar” liderado pela comunidade acadêmica do Curso de Agronomia

cb36a2a1-e568-4665-b51b-cd0dbb511f7d

Comunidade acadêmica do Curso de Agronomia leva conhecimento e prática para alunos de todas as idades e diferentes redes escolares. O Projeto “Sustentabilidade e Segurança Alimentar” desenvolve, restaura e estabelece hortas em diferentes espaços, de acordo com as necessidades e recursos disponíveis no local onde estão inseridos os alunos.

Segundo o entendimento da coordenação dos cursos de agronomia, a iniciativa tem se mostrado fundamental para os futuros engenheiros agrônomos, pois promove uma graduação ativa, integrando a extensão curricular e os projetos integradores.

Cristiano Weber, diretor da escola da URI onde o projeto também está sendo trabalhado, ressalta que o propósito principal da participação dos alunos é estimular o contato direto com a natureza, promovendo o aprendizado sobre plantas, alimentação saudável e sustentabilidade.


Na Escola da URI

No Campus de Santo Ângelo, os alunos da Escola da URI adotaram três canteiros a céu aberto, além de uma estrutura em formato de relógio do corpo humano, que representa um horto medicinal. Essa estrutura reúne conhecimentos sobre plantas medicinais, aromáticas e condimentares da medicina tradicional oriental, com destaque para o Relógio Cósmico e o fluxo de energia.

27400b2f-e0ea-45fb-a67c-be76ab2f8848

A proposta vai além do simples plantio. Os estudantes têm a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula na prática, estabelecendo conexões entre disciplinas como matemática, ciências e geografia.

Eles são responsáveis pelo dimensionamento e posicionamento dos canteiros, pelo cálculo do número de mudas e do espaçamento entre as plantas, além de analisar as necessidades de irrigação e as taxas de luminosidade solar. Essa abordagem multidisciplinar permite que os alunos compreendam a importância da produção própria de alimentos saudáveis e promove a consciência da segurança e autonomia alimentar.

Além disso, os alunos têm a oportunidade de conhecer a estação meteorológica da URI, que fornece informações precisas sobre dados climáticos, precipitações, umidade do ar, intensidade de raios solares, velocidade e direção dos ventos. Esses dados são disponibilizados na página da instituição, permitindo um acompanhamento mais preciso das condições climáticas.

Outro destaque do projeto é o uso da estufa agrícola, onde os estudantes aprendem sobre diferentes sistemas de plantio, como hidropônico, semi-hidropônico, vasos e tubetes em bancadas.

Eles também têm a oportunidade de conhecer e utilizar os três tipos de sistemas de irrigação: fluxo laminar de água, gotejamento e aspersão. A estufa é um espaço onde o Curso de Agronomia desenvolve projetos de pesquisa científica, trabalhos de conclusão de curso e pesquisas comerciais.

A coordenação do projeto fica a cargo da professora engenheira agrônoma Giselda Ghisleni e do professor também agrônomo Marlon Ferrazza, com a assistência das estagiárias Camila Tenório e Natália Heinzmann, do Curso de Agronomia, que acompanham os alunos durante as atividades.

O Projeto Sustentabilidade e Segurança Alimentar atende objetivos, metodologias e normas educacionais, profissionais e sociais, desempenhando seu papel na formação dos estudantes.

27400b2f-e0ea-45fb-a67c-be76ab2f8848

Outras frentes de ação
Além da Escola da URI, o Curso de Agronomia também realiza esse projeto em parceria com escolas estaduais vinculadas à 14ª Coordenadoria Regional de Educação, Instituto Estadual Odão Felippe Pippi e Dr. Augusto do Nascimento e Silva.

Neste artigo

Participe da conversa