Vírus de caxumba está circulando no Município

Já foram registrados oficialmente em Santo Ângelo 39 casos da doença

3141 0

Caxumba - 01Vírus de caxumba está circulando no município e oficialmente já foram registrados 39 casos. A maioria deles em jovens na faixa etária de 17 a 25 anos. As notificações foram feitas por hospitais, postos de saúde e consultórios médicos. Os dados foram confirmados pela Secretaria de Saúde do Município, a enfermeira Juliane da Rosa, responsável pela Vigilância Epidemiológica, afirma que, até o momento não há informações de complicações e a doença tem apresentado um curso benigno, deixado o infectado imunizado. Deste modo, não há uma política pública que seja adotada para imunização em massa.
Representantes da URI –Universidade Regional Integrada, CNEC/IESA, SENAC e 14ª CRE – Coordenadoria Regional de Educação participaram de uma reunião, na qual, foram trocadas informações de prevenção. Como proporcionar ambiente arejado em salas de aula e incentivo a medidas de higiene que possam evitar a contaminação. Na ocasião, a Secretaria de Saúde informou a atual situação do município e pediu o apoio das Instituições na divulgação de materiais e campanhas para conscientização de métodos preventivos à doença.
Transmissão
A transmissão se dá pelo contato direto com as secreções das vias aéreas superiores da pessoa infectada, a partir de dois dias antes até nove dias depois do aparecimento dos sintomas. Segundo o Médico Drauzio Varela. O período de incubação varia de 14 a 25 dias.
Raros são os casos de reinfecção pelo vírus da caxumba. Em geral, uma vez infectada, a pessoa adquire imunidade contra a doença. No entanto, se a infecção se manifestou apenas de um lado, o outro pode ser afetado em outra ocasião.

Recomendações
Segundo a professora de Biomedicina da CNEC/IESA, Carine Zimmermann, “devemos evitar aglomerações de pessoas em locais fechados, manter as salas de aulas ventiladas e evitar o compartilhamento de talheres e materiais de higiene pessoal, afinal, a doença se propaga através da saliva de pessoas infectadas com o vírus. É importante lembrar também de lavar bem as mãos, com álcool em gel ou água corrente”, explica. Inchaço no pescoço, dor embaixo da mandíbula (ao mastigar e engolir), febre e dores musculares são alguns dos sintomas da caxumba. A melhor maneira de evitar a caxumba é através da vacinação. As pessoas diagnosticadas com a doença, não devem comparecer à aula ou ao trabalho por no mínimo dez dias, evitando assim a transmissão para outras pessoas.

Vacina
A vacina contra a caxumba está incluída no Calendário Básico de Vacinação, em geral está associada às vacinas contra sarampo e rubéola, as três juntas são chamadas de: tríplice viral; que a criança toma quando completa um ano de idade. O reforço é feito com a vacina tetravalente (caxumba, sarampo, rubéola e varicela) e aplicada, conforme o calendário de vacina, quando a criança completa um ano e cinco meses, ou, entre 4 e 6 anos.
A Enfermeira Juliane da Rosa acredita que durante um período de tempo foi utilizada a vacina bivalente no calendário oficial de vacinas, deste modo, quem nasceu em determinado período não foi imunizado contra o vírus de caxumba. A enfermeira formula a hipótese que seriam estas pessoas que estão mais suscetíveis neste momento, fato que explicaria a faixa etária que está sendo vítima da doença.

Neste artigo

Participe da conversa