Do linóleo à sala de casa

O Premio Web Festival Santo Ângelo em Dança será realizado em setembro e está com inscrições abertas em cinco categorias. Bailarinos mostram suas coreografias em vídeos produzidos de...

252 0

O Premio Web Festival Santo Ângelo em Dança será realizado em setembro e está com inscrições abertas em cinco categorias. Bailarinos mostram suas coreografias em vídeos produzidos de casa que serão postados em uma plataforma. Jurados reconhecidos nacionalmente vão escolher os vencedores.

Alceubett.com fotografia - Imagem do último festival realizado em Santo Ângelo
Alceubett.com fotografia – Imagem do último festival realizado em Santo Ângelo

As salas das casas viram palco do Santo Ângelo em Dança, de forma inédita e totalmente na internet este ano, bailarinos e bailarinas irão participar do “web festival” alterando o lugar de apresentar suas coreografias. O evento acontece entre nos dias 10 (1ª Fase), 11 (2ª Fase) e 12 (3ª Fase) de Setembro e é coordenado pelo bailarino e coreógrafo Douglas Ravadielli, que neste ano optou por um formato inédito de incentivar a cultura da dança.
Para Douglas, “o futuro do festival é incerto”, devido ao cenário de afastamento social, desse modo, houve a criação de um projeto de incentivo a dança em formato online ou ainda, virtual. “Com o objetivo de oportunizar, trazer arte, cultura para a cidade e a todos os participantes.” O Festival Santo Ângelo em Dança está presente há 14 anos no município, trazendo pessoas e culturas de diversas partes do Brasil, evento que movimenta a economia do turismo na capital missioneira.

Os jurados
Os jurados que irão avaliar o evento já foram selecionados, entre eles(as) bailarinos brasileiros com grande experiência na dança. Como, Fabio Alcântara, Bailarino Contemporâneo de Belo Horizonte, Minas Gerais. Também, Eduardo Amorim, bailarino de danças urbanas de Brasília Distrito Federal. E, Everson Botelho de São Paula, Bailarino Clássico formado pela Especial Academia de Ballet de São Paulo em 1994.
Nesse cenário, de pandemia global, bailarinas, bailarinos e coreógrafos precisam adaptar-se para dançar mantendo a essência dos passos. Sem aglomerações, em suas casas, sozinhos (as). Buscam não deixar de lado o movimento artístico que inspira gerações.

Repórter – Éverton Cabral

Neste artigo

Participe da conversa