Sábado 30/07/2011

A música da MaraPoucos sabem que, na adolescência, Mara Regina Rosler, filha da santiaguense Generosa Pinto Moraes e do são-luizense Ivo Moraes, adorava música, sabia o que fazer...

1286 0

A música da Mara
Poucos sabem que, na adolescência, Mara Regina Rosler, filha da santiaguense Generosa Pinto Moraes e do são-luizense Ivo Moraes, adorava música, sabia o que fazer com o acordeon. Depois, o magistério abafou o pendor musical. Integrou-se de corpo e alma ao ensino fundamental e foi galgando degraus até chegar ao nível superior, mas nunca ensinou música. Por vários anos, Mara ocupou a Reitoria da URI, com sede em Erechim. Terminado o mandato, passou a trabalhar em Universidade paulista, onde ainda se encontra. A propósito da crônica A Neta do Coronel, a professora me escreve pelo correio eletrônico:
– Fiquei emocionada com a sua crônica. Leda Nascimento Albuquerque (mãe da cantora Carla Mafioletti) era minha companheira na orquestra do Colégio Verzeri, como tantas outras, entre as quais Neidi Barrera, as Galeazzi e a Simone Nascimento Albuquerque. Fomos muito felizes nessa época. A Madre Helena nos estimulava e foi responsável pela nossa ternura com a música.
A Leda tocou e cantou na festa dos meus quinze anos e na cerimônia do meu casamento. Acompanhei seus tempos de namoro. Muitos chás tomamos com os pais dela, Rosinha e Coronel Tenório. Firme ele era no âmbito militar, mas amava a arte em sua casa, com paixão pela habilidade de suas filhas ao teatro (Eridan) e à música (Leda, Simone e Gugu). A morte do Rômulo (piloto agrícola) foi um baque para toda a família.
Encontrei a Leda, mais tarde, muitas vezes , em Porto Alegre, perto do meu apartamento. Ela merece essa filha artista e maravilhosa (Carla). Nós a acompanhamos com êxtase e em orações. A arte melhora o ser humano. Disciplina os jovens e para nós, agora idosos, é a própria redenção lembrar tão bons momentos de décadas passadas. Todas nós da Orquestra Verzeri temos, ainda que distantes, o carinho e a persistência ensinadas em nossa escola. Abraços, Mara Regina Rosler.
Por outro lado, Ingrid Nonnig, a primeira professora de autoescola na cidade,  apreciou a crônica sobre gente antiga de Santo Ângelo. Aproveitou para lembrar do Rudy Erberich, irmão dela, que há quatro anos voltou para a vida espiritual, na cidade de Cascavel, onde residiu nos últimos anos de sua passagem terrena. O Rudy trabalhava como radio-técnico, ajudou muito no TV-Clube, do qual Euclides Portuguez era o presidente e me coube a vice-presidência.
O TV-Clube batalhava para trazer o sinal da TV Gaúcha a Santo Ângelo, o que se conseguiu após muito esforço.  Além disso, o Rudy se destacou no futebol santo-angelense como goleiro do Elite Clube Desportivo.
O centroavante Carlos Wilson Schroder, também craque elitense, botou o apelido de Sueda no colega de time e o apelido pegou na cidade.
O Carlinhos adorava apelidar futebolistas com nomes de jogadores famosos. Sueda era goleiro da Seleção da Suécia.Temperamento alegre, brincalhão, o Rudy deixou boas lembranças para os familiares e amigos.
A FRASE DO CHICO XAVIER –  Meu ideal é viver o Evangelho de acordo com Nosso Senhor Jesus Cristo e servir humildemente ao homem.                                                                                                           

Neste artigo

Participe da conversa