Exposição permanente do Querubim Missioneiro

A escultura de um anjo missioneiro entalhada em madeira é restaurada, ganha esterilização com luz ultravioleta e retorna para Santo Ângelo

274 0

A imagem de um anjo de estilo barroco, classificada como autêntica arte do período jesuítico/guarani, ficará em exposição permanente para observação dos moradores e turistas que visitam o museu José Olavo Machado, em Santo Ângelo. A peça já pertencia a reserva técnica do museu e estava coberta com espessa camada de tinta prata.

O trabalho de restauração do Querubim Missioneiro foi sugerido e coordenado pelo professor e doutor – pela Universidade Jesuíta de Roma – Edison Hüttner, e realizado na Oficina Museográfica do Museu de Ciências e Tecnologia (MCT) da PUCRS, com orientação da artista plástica Carla Rigotti e contribuições na restauração do doutorando do curso de Pós-Graduação em História, Cláudio Lopes Preza Junior.

Foto - Edison Hüttner
Foto – Edison Hüttner

A imagem do Querubim, o anjo missioneiro, será apresentada no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado na próxima quinta-feira, dia 5, às 19 horas. A exposição é realizada pela Secretaria Municipal de Cultura, Núcleo de Arqueologia (Santo Ângelo), Museu Municipal Dr. José Olavo Machado, Escola de Humanidades e seu Grupo de Pesquisa de Arte Sacra Jesuítico-Guarani e Luso-Brasileiro (PPGH/PUCRS).

Na sexta, dia 6, terá início a visitação da obra, que deverá ser realizada mediante agendamento.

Esta escultura possui 60 centímetros de altura e 47 cm de largura, pesando 5,2 quilos. É de madeira esculpida policromada e tem encaixe nos braços e nas pernas, além de duas aberturas para colocação das asas. Esta arte missioneira será fixada no interior do museu de modo que fique suspensa, no alto, por meio de fios.

A restauração contribuiu para o resgate dos aspectos originais da peça. Após análise, foram realizados testes e iniciou-se a remoção de uma espessa camada de tinta prateada e de concentrações de gesso, foram fixados os braços que estavam soltos e aplicada uma resina natural transparente para conservar a escultura. Mas além disso, os pesquisadores revisaram a bibliografia sobre as representações angelicais na cultura da igreja para compreender o seu uso nas reduções.

Antes
Antes
Foto - Edison Hüttner
Foto – Edison Hüttner

Por fim, a escultura passou pela irradiação de luz UV-C, pois a técnica é eficaz para a eliminação de Fungos, Bactérias, família Coronavirus, e o próprio COVID 19 – deixando a superfície onde foi aplicada a luz UV (radiação ultravioleta), completamente esterilizada, sem contaminação. Os produtos da Huttech foram desenvolvidos no Parque Tecnológico do TecnoPUCRS com testagem por radiometria em ensaio de simulação em atividade real. A aplicação do UV-C no Anjo Barroco Missioneiro de Santo Ângelo foi realizada pelo Dr. Éder Abreu Hüttner no Campus da PUCRS e acompanhada por Édson.

Querubim Missioneiro em banho de UV (Copy) Querubim Missioneiro (Copy)

A peça de arte barroca tem características próprias, pois um novo barroco foi criado nas missões, conforme citação compilada no trabalho “embora o propósito sacro e místico fosse o mesmo, as mãos que esculpiam eram outras”. Os artistas missioneiros tiveram como escola mestres da Itália, Alemanha e Espanha, mesclados aos nativos que também eram inseridos nas artes da música, escultura, agricultura, arquitetura, entre outras técnicas que caracterizaram estes povos Deste modo, todas as peças produzidas neste período possuem características passíveis de identificação.

Origem da peça

Segundo um parecer técnico sobre a origem da peça elaborado pela museóloga Raquel Furtado Durans, do Iphan, o anjo pertencia a uma senhora que morava numa fazenda em Santa Tecla e estava lá desde 1896. A dona da fazenda veio morar em Santo Ângelo e doou a imagem para o Museu Municipal Dr. José Olavo Machado.

Esta escultura não estava em exposição, estava guardada junto a reserva técnica do museu. No ano de 2017 iniciou-se um trabalho de digitalização das informações de cada uma das peças que integram o acervo, são mais de 1000. Este trabalho foi concluído no ano de 2020.

No dia 21 de setembro de 2020, Edison Hüttner, coordenador do Projeto de Arte Sacra Jesuítico-guarani CNPQ-PUCRS, esteve em Santo Ângelo para tratativa de início de restauro da peça, reunido com o secretário municipal de Cultura, Marco André Müchen, e com a diretora do Museu, Clotilde Maria Mousquer, Edison assinou um termo de empréstimo do anjo para ser restaurado.

Neste artigo

Participe da conversa