Dia de campo no IF Farroupilha

Uma área de 20 hectares do Instituto Federal Farroupilha de Santo Ângelo é usada como Laboratórios de Ensino, Pesquisa, Extensão e Produção (LEPEP)

310 0

O Dia de Campo do Instituto Federal Farroupilha foi realizado na última terça-feira, dia 24. Alunos, agricultores e técnicos de empresas ligadas ao setor da agricultura puderam analisar cinco estações.
Lotes com espécies usadas para cobertura de solo e para efetivar a rotação de cultura foram plantadas em consórcio, foram estudadas as seguintes forrageiras: Nabo, ervilhaca, tremoço, trevos e aveia. Outra estação analisou parcelas plantadas com Canola na qual foi possível observar como cada variedade de sementes se comportou em diferentes épocas de plantio.
Foi realizada ainda neste dia de campo a apresentação de Cultivares de Trigo, bem como, diferentes manejos e suas respectivas respostas. Nesta atividade prática, o milho também foi objeto de estudo.
Participaram técnicos de empresas como Agrofel, Atlântida, Sementes Combaí, Sementes Embrapa Trigo, Sementes Lopes. Os participantes do dia de campo perceberam na prática como se comportou cada experimento e ainda conheceram detalhes de cada cultivar.
A canola, por exemplo, é uma das culturas de inverso que foi trabalhada, junto com o trigo e a aveia. Nos municípios de Giruá e Guarani das Missões estão localizadas as únicas empresas de extração de óleo desta oleaginosa (canola) no Brasil, os experimentos realizados no IF Farroupilha ajudam na formulação de artigos científicos sobre esta cultura. Embora a canola permita a extração de um óleo de qualidade, ainda não possui um mercado consumidor desenvolvimento. Parte da produção regional é destinada para a extração de óleo e outra parte para alimentação de pássaros.

IF Farroupilha - Dia de Campo (39) (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa