Um lugar para conhecer a história da comunicação

No Espaço Cultural Marechal Rondon é possível conhecer um acervo único no Brasil, veio para as Missões junto com o 1º BCom - Batalhão de Comunicações no ano...

146 0
Sala que guarda os uniformes usados pelos militares do Exército Brasileiro, inclusive um exemplar usado pelos primeiros soldados vindos de Portugal no ano de 1500
Sala que guarda os uniformes usados pelos militares do Exército Brasileiro, inclusive um exemplar usado pelos primeiros soldados vindos de Portugal no ano de 1500

 

O Espaço Cultural Marechal Rondon está localizado em Santo Ângelo e desde o ano de 2014 faz parte do Circuito Missioneiro de Turismo. O lugar fica a exatos 2 quilômetros da Catedral Angelopolitana, sendo necessários 6 minutos de carro ou bicicleta ou 23 minutos a pé. Aberto a visitação pública por meio de agendamento, guarda e expõe um patrimônio histórico e cultural brasileiro que mostra o protagonismo de militares comandados por Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon ao promoverem a integração nacional por meio de linhas telegráficas e a demarcação das fronteiras nacionais.
Quando o 1º BCom veio para Santo Ângelo, com ele também foi transferido todo o patrimônio cultural pertencente ao quartel, proporcionando aos Missioneiros a possibilidade de visitação deste acervo histórico e cultural único no Brasil, hoje localizado na área do quartel.
Rondon é considerado o Patrono das Comunicações e o museu remete a uma história vivenciada no final do século XIX até a metade do século XX (1965-1958). Embora o Espaço Cultural Marechal Rondon esteja instalado no quartel de Santo Ângelo desde 1992, foi inaugurado há 46 anos, no dia 14 de dezembro de 1972, no Rio de Janeiro.
O Espaço Cultural Marechal Rondon é composto por quatro salas. Entre elas, a de projeção de filmes na qual o visitante tem contato com vídeos e material informativo, outra sala de exposição de uniformes oficiais do Exército Brasileiro, inclusive expõe o uniforme usado por soldados portugueses quando chegaram ao Brasil, no ano de 1500, reconstituindo a linha do tempo por meio dos uniformes usados ao longo dos anos.
Os pracinhas da FEB – Força Expedicionária Brasileira chamados de Febianos, também são lembrados neste espaço cultural, uma das salas guarda objetos diversos usados pelos expedicionários como, baús, objetos pessoais, armas, entre outros.
Uma das salas está destinada para guardar peças de mobília, instrumentos de comunicação, armas e relíquias usadas por Marechal Rondon. São peças doadas por familiares e fruto de pesquisa dos militares. No Centro Cultural Marechal Rondon o visitante conhece o telégrafo usado por este precursor das comunicações no Brasil, peças personalizadas como os capacetes, peças de vestuário, máscara mortuária entre outros objetos antigos que despertam a curiosidades acerca deste desbravador que promoveu a integração nacional por meio da comunicação.
Segundo informações divulgadas pelo Curador do Museu, Tenente Silveira, Marechal Rondon participou da construção das linhas telegráficas interligando as regiões Centro Oeste e Amazônia às linhas existentes no Rio de Janeiro, São Paulo e Triângulo Mineiro. Foram instalados mais de 4,5 mil quilômetros de linhas telegráficas, além de demarcar mais de 8 mil quilômetros de fronteiras.
O Espaço Cultural Marechal Rondon pode ser visitado nos seguintes dias: De segunda a quinta pela manhã e tarde e nas sextas-feiras somente pela manhã. O horário matinal é das 9h30min às 11h30min e a tarde entre às 14h às 16h30min. O agendamento pode ser feito pelo telefone 3313-1100 ramal 2019.

Telégrafo de fita que pertenceu a Comissão Rondon
Telégrafo de fita que pertenceu a Comissão Rondon
Mobília usada por Marechal Rondon
Mobília usada por Marechal Rondon
Neste artigo

Participe da conversa