Única e soberana no espaço público de Santo Ângelo

Conhecida como Tamareira-das-canárias se destaca por ser robusta, o tronco pode medir 70 a 90 centímetros de diâmetro, suas folhas são exuberantes, bi-pinadas e longas.

787 0
Phoenix canariensis - junto ao monumento em homenagem aos índios das reduções jesuíticas -  Foto: Marcos Demeneghi
Phoenix canariensis – junto ao monumento em homenagem aos índios das reduções jesuíticas – Foto: Marcos Demeneghi

Um dos raros exemplares de Palmeira das Canárias (Phoenix canariensis) implantada no espaço público urbano de Santo Ângelo pode ser vista próxima ao Centro Municipal de Cultura, junto ao monumento em homenagem aos índios das reduções jesuíticas. Também conhecida como Tamareira-das-canárias se destaca por ser robusta, o tronco pode medir 70 a 90 centímetros de diâmetro, suas folhas são exuberantes, bi-pinadas e longas.

Esta palmeira também frutifica e os frutos são comestíveis, no entanto, pouco atraentes, possui uma polpa fina, com pouco açúcar e muita semente.

É uma planta muito ornamental, porém pouco usada nos jardins residenciais, dada a seu porte que é indicado para parques ou projetos de paisagismo em lugares maiores como de fábricas e praças.

Ela é de origem europeia, mais precisamente das Ilhas Canárias e por isso recebe este nome.

Palmeira canariense - Foto - Marcos Demeneghi
Palmeira canariense – Foto – Marcos Demeneghi
Neste artigo

Participe da conversa