Sábado 04/02/2012

Reforça – se hoje a lição do uso da expressão “em nível de” e que muitos a usam com o mesmo significado e escrita que tem a expressão...

459 0

Reforça – se hoje a lição do uso da expressão “em nível de” e que muitos a usam com o mesmo significado e escrita que tem a expressão “ a nível de”. As duas expressões não são sinônimas e, não sendo sinônimas, não possuem os mesmos significados. A expressão “a nível de” só se usa quando quem fala ou quem escreve quer significar “ao nível do mar”. Fora deste significado, não deve usá-la. E mais, deve evitar o abuso dessa expressão que se tornou modismo e, como tal, clichê – expressão mais sovada que banco antigo de lavanderia. Por outro lado, a expressão  “em nível de” é usada como sinônimo de “ na esfera de”, “no âmbito de” ou, simplesmente, “de”, “para”, “com” e seus pares.
Existe uma dica simples e fácil para o falante ou para o escrevente usar a preposição “em” e não a preposição “a” no resto da expressão ”nível de”. Basta lhe colocar o adjetivo “alto” ao lado esquerdo do substantivo “nível” e logo sentirá que a sua frase falada ou escrita vai exigir a preposição “em” e rejeitar a preposição “a”. Ou, então, usar o adjetivo “baixo” no lugar do adjetivo “alto” que, fora os significados opostos, faz a frase ser correta no uso da expressão focada. Teoria Gramatical e linguística sobre este assunto, como de qualquer outro assunto, é importante, sempre, pois oferece base segura para o bem falar e para o bem escrever, mas a prática também é igualmente importante, ou seja, é importante falar ou escrever as frases dentro da teoria ou ainda em estudo.
Eis dois exemplos de frases com o uso da expressão “em nível de”. Primeiro:  A questão da estiagem no Estado foi debatida  “em nível de” governo municipal, estadual e federal. Segundo: As inundações em Minas e no Rio foram tratadas “em nível dos” três governos: municipal, estadual e federal. Viu-se e pode-se ver no último período do primeiro parágrafo a preposição “de” da expressão “em nível de”. A preposição “de” pode variar em gênero e número, ou seja, pode se transformar em “da”, “das”, “do” e “dos”. Sendo assim, no primeiro exemplo acima ficou a preposição “de” na expressão “em nível de”, Já no segundo exemplo a preposição “de” passou a ser “dos”. Mais, nos dois exemplos dados, a preposição “em” não pode, de jeito algum, ser substituída pela preposição “a”, ou seja, a expressão “em nível de” não pode ser trocada pela expressão “ a nível de”. O “a” é varrido, sem dó, pelo “em”.
Razões? Uma, porque o sentido mudaria completamente, ou melhor, “a nível de” tiraria o sentido que “ em nível de” tem e dá. Outra, porque, em termos práticos de não se usar “em” por “a” em frases com os sentidos que os dois exemplos de frases acima possuem, é só colocar entre o “em” e o nível” o adjetivo “alto” ou o adjetivo  “baixo”. Esses adjetivos não admitem “a”, apenas “em”. Usando-se o adjetivo “ alto” nos exemplos dados, têm-se estes resultados: A questão da estiagem no Estado foi debatida em alto nível de governo municipal, estadual e federal. As inundações em Minas e no Rio foram tratadas em alto nível dos três governos: municipal, estadual e federal. Usando-se o adjetivo “baixo”, as frases em tela adquirem significados opostos: o alto nível passa para o baixo nível. Nunca, porém, com a. Sempre com em.

Neste artigo

Participe da conversa