A história do Sítio das Capivaras

Cerca de 150 capivaras nativas se avizinham de um sítio localizado em Taipão Fundo, zona rural de São Pedro do Butiá, interior do Rio Grande do Sul. Este...

499 0

Cerca de 150 capivaras nativas se avizinham de um sítio localizado em Taipão Fundo, zona rural de São Pedro do Butiá, interior do Rio Grande do Sul. Este local se tornou uma referência Turística e atrai pessoas da comunidade, turistas de cidades vizinhas e até de outros países. Para chegar ao Sítio é necessário vencer cerca de oito quilômetros de estrada de chão a contar do trevo de acesso a cidade de São Pedro do Butiá na BR 392

Gervásio Ludwig é quem cuida do sítio há cinco anos
Foto – Marcos Demeneghi – Gervásio Ludwig é quem cuida do sítio há cinco anos

O Sítio das Capivaras possui cerca de quatro hectares onde vertentes de água doce formam lagoas naturais e tem a geografia delimitada pelo Rio Ijuí. Um paraíso para a procriação desta manada de roedores avantajados, que chamam a atenção pela convivência pacífica com os humanos. Elas gostam de água, possuem hábitos semiaquáticos e comem capim e plantas da lagoa.

Há cerca de 20 anos um casal com mais cinco filhotes vieram morar na lagoa do sítio e Sr. Pedro Reinoldo Ludwig (conhecido como Naldo), proprietário destas terras, que resolveu agradar as capivaras, por fim, elas gostaram do carinho e se multiplicaram pela região. A notícia se espalhou e passou a atrair a visita de curiosos que também aproveitam para acampar e passar momentos junto a natureza.

Gervásio Ludwig é quem cuida do sítio há cinco anos, depois que sua mãe, Cecília Catarina Ludwig, faleceu, ele retornou ao Rio Grande do Sul para contribuir com o trabalho de manutenção do Sítio das Capivaras.

Gervásio reafirma que as capivaras são silvestres, nativas do lugar e o comércio deste tipo de animal não é permitido e nem realizado no sítio. É ele que recepciona os visitantes, conta curiosidades sobre os hábitos das capivaras e também continua a tradição de seu pai. Quando chega um grupo de turistas, ele leva um alimento para as capivaras que vem ao encontro dos visitantes.

A cena é realmente curiosa, pois não é todo dia que alguém se percebe rodeado de roedores gigantes esperando atenção e carinho. Uma diversidade de pássaros também aparecem para se alimentarem, quem visita o sítio também pode apreciar a fauna e flora caracterizada pela transição entre os biomas pampa e mata atlântica.

O Sítio das Capivaras é reconhecido como um dos atrativos do turismo rural da região das Missões, chega atrair até 50 famílias em um único final de semana, mas não há estatística formalizada. Também não há uma infraestrutura específica para acolher o turista, que deve considerar estes aspectos antes de se aventurar na visitação. É necessário levar os recursos básicos para a manutenção, como água e alimento, pois não é feito comércio no Sítio das Capivaras.

Sítio das capivaras (9) (Copy) Sítio das capivaras (8) (Copy)

Gervásio Ludwig é quem cuida do sítio há cinco anos
Gervásio Ludwig é quem cuida do sítio há cinco anos

Sítio das capivaras (6) (Copy) Sítio das capivaras (5) (Copy) Sítio das capivaras (2) (Copy)

Reportagem e edição | Marcos Demeneghi

Neste artigo

Participe da conversa