Sábado 13/08/2011

Sensitiva de Macchu PicchuJosé Valdonei Pires, o homem da Farmácia Pires, convidou a esposa, os dois arrumaram as malas e pegaram a estrada. Andaram por vários países europeus,...

854 0

Sensitiva de Macchu Picchu
José Valdonei Pires, o homem da Farmácia Pires, convidou a esposa, os dois arrumaram as malas e pegaram a estrada. Andaram por vários países europeus, amaram o passeio de gôndolas em Veneza, comeram pizzas, beberam bom vinho tinto seco e retornaram com muitas histórias para contar. Poucos dias de trégua e, em seguida, voltaram para a estrada. Agora o destino foi Machu Picchu, peregrinação obrigatória para quem deseja conhecer a fantástica história da cidade peruana, repleta de mistérios e carregada de espiritualidade. Não sei se o Pires vai escrever livro sobre o que viu e sentiu em Machu Picchu. Mas bem que poderia.
A atriz norte-americana Shirley McLaine andou por lá, há duas décadas, e escreveu obra que merece ser lida por quem gosta de apreciar narrativas de viagens. A jornalista Elisabeth Gilbert fez longa excursão por Itália, Índia e Bali, anotou tudo, transformou em livro e já vendeu mais de oito milhões de exemplares. Elisabeth se encantou com o ambiente místico da Índia. Shirley abandonou a incredulidade ante as experiências paranormais que viveu na cidade perdida dos incas. O mediunismo desabrocha em qualquer lugar e se manifesta especialmente entre pessoas humildes, como a mulher idosa, muito pobre, sem dentes, moradora nas imediações de Machu Picchu.
Levada por um amigo, Shirley esteve na casinha tosca daquela mulher que nunca estivera em cinema e nada sabia da vida da artista de Hollywood. Depois das apresentações, a sensitiva pediu o bracelete de alto valor da consulente que, a princípio, se recusou a entregar. Ante o conselho do amigo, colocou o bracelete nas mãos da médium humilde, conhecedora da radiestesia, desde criança. Depois de alguns instantes de apalpar a joia, a mulher peruana falou, entre outras coisas, pausadamente:
– Vejo neste momento amigo seu encostado numa janela em cidade muito distante e muito grande. Ele está pensando em terminar o namoro que dura alguns anos entre vocês. É uma decisão difícil para ele, mas parece que não voltará atrás.
Poucos dias depois do retorno a Nova York, Shirley McLaine recebeu telefonema do namorado. Depois de penosas explicações, veio a decisão antecipada pela sensitiva peruana. Atormentada pelo fim do romance, a artista se rendeu à força da espiritualidade.
Como aquela mulher analfabeta, que nunca saiu do terreno acidentado de Machu Picchu poderia saber o que se passava na cabeça do ex-namorado? O Plano Maior tem mil modos para quebrar o materialismo dos seres humanos.
A FRASE DO CHICO XAVIER – Ninguém vem a nós por obra do acaso.

Neste artigo

Participe da conversa