Quarta-feira 30/05/2012

Carteiraço O Brasil é um dos poucos países que a lei do “Carteiraço” ainda vigora. É a velha historia do “tu por um acaso sabe com quem está...

867 0

Carteiraço

O Brasil é um dos poucos países que a lei do “Carteiraço” ainda vigora. É a velha historia do “tu por um acaso sabe com quem está falando?”, e isto não são fatos isolados ou distantes da nossa realidade.

Infelizmente pessoas que deveriam nos dar o exemplo de respeito e dignidade cometem estes excessos, que se transformam em humilhação e ultraje a quem é direcionado.

São pessoas soberbas que colocam valores materiais acima dos valores eternos e que não nutrem pelo outro e principalmente por si próprios sentimento algum.

Não me coloco na condição de juiz de ninguém, não me cabe este papel, mas é lamentável ver que em pleno século 21 ainda algumas pessoas se utilizam deste tipo de comportamento para demonstrar seu poder, sua importância.

São atos como estes ou como o caso do cidadão que estacionou na vaga para deficientes físicos e que se incomodou ao ser chamado sua atenção que conseguimos perceber o quanto somos ainda pequenos, imperfeitos. Tem um ditado que diz assim: “Se queres conhecer um homem verdadeiramente, dê poder a ele”, e não é a mais pura verdade? Alguns me dirão que o poder corrompe, assim como dizem que a política corrompe as pessoas, mas eu defendo que não, são as pessoas que se deixam corromper ou se envaidecer pela sua posição social, econômica, etc. Que os adeptos desse sistema do “carteiraço” possam respeitar leis, normas e parar com esta prática anti-ética e antidemocrática.

Ninguém oferece ao outro o que não possui. Se alguém exige respeito, deve primeiramente respeitar, o mesmo acontece em relação a tudo em nossa vida, o que constitui uma via de mão dupla.

Se eu não cultivar bons sentimentos com meu próximo, o que eu vou receber em troca?

Neste artigo

Participe da conversa