Sábado 14/01/2012

Dois batalhadores do passado Outro dia, escutei no rádio a Odila Motta e a Ligia Schroeder falando na futura edição de revista da Associação Comercial e Industrial de...

215 0

Dois batalhadores do passado

Outro dia, escutei no rádio a Odila Motta e a Ligia Schroeder falando na futura edição de revista da Associação Comercial e Industrial de Santo Ângelo, alusiva aos oitenta anos da entidade. De imediato, voltei no tempo e me lembrei de dois batalhadores dos primeiros e difíceis anos da associação que hoje reúne comerciantes e industrialistas do nosso torrão missioneiro. No começo, era só de comerciantes, entre os quais, Apparício Sebastião do Amaral e Nelson Kaercher. Recordo o “seu” Amaral já idoso, no balcão da Drogaria Amaral , que ficava na esquina da Marechal Floriano com a rua Tiradentes. Há anos, as chamadas “drogarias” foram extintas. Por aqui tivemos a Drogaria Amaral, a Drogaria De La Rue e a Drogabir.
Walter era o único filho homem, em meio às irmãs, uma delas casada com o Tenente Ferriche, proprietário da primeira emissora de rádio de Santo Ângelo, a Rádio Missioneira, que funcionava nos altos do prédio ao lado da Joalheria Feldmann, na Marquês do Herval. Apparício foi o primeiro presidente da Associação Comercial e, simultâneamente, casou dezenas de santo-angelenses, como Juiz de Paz. Cidadão de baixa estatura, muito cordial, era bem relacionado na cidade. Graças a esse temperamento afável conseguiu aglutinar os poucos comerciantes de então em torno de uma associação.
Nelson Kaercher conduziu a Casa das Sedas por muitos anos de prosperidade, ao lado do sogro Luiz Dable e do concunhado Marcos Simon, na Marechal Floriano, esquina com a 25 de Julho. Na presidência da Associação Comercial, aceitou o desafio de construir sede própria, a mesma que está ali na Venâncio Ayres, que também abrigou, em diferentes épocas, a Biblioteca Pública dirigida por Augusto César Pereira dos Santos e a antes denominada Junta de Conciliação e Julgamento, atual Vara do Trabalho. Para conseguir verba federal para o prédio, Kaercher topou viajar de trem de Santo Ângelo ao Rio de Janeiro, acompanhado de Francisco Graziadei. Este, trabalhista histórico, agente local do IAPC, apresentou Nelson Kaercher ao presidente Getúlio Vargas, no Palácio do Catete.
A viagem pra lá de cansativa, ida e volta, pela via ferroviária, rendeu o dinheiro necessário à construção da ótima sede da Associação Comercial, como me relatou o amigo Wilmar Kaercher. Por mais de dois mandatos, Nelson Kaercher deixou importante trabalho de consolidação da entidade agora presidida por Bruno Krug. Aposentado, Nelson foi um dos pioneiros das longas caminhadas matinais pelas ruas da Capital das  Missões.
Por dever de justiça, Apparício Sebastião do Amaral e Nelson Kaercher merecem ser lembrados, sem esquecer os presidentes posteriores, como os decisivos para a fundação e fortalecimento da nossa prestigiada Associação Comercial e Industrial de Santo Ângelo.

Neste artigo

Participe da conversa