Bastidores

 

581 0

AER (SER) Santo Ângelo
Estava relutante em escrever esse texto, visto que no período que o clube está passando é delicado. Em todos os aspectos. Sofrer uma goleada de 7 contra o Cerâmica foi como jogar uma pá de cal em todo o esforço que a entidade vem fazendo para sair do atoleiro. Tenho acompanhado a AER Santo Ângelo, que todos ainda conhecem como SER, e legitimamente, pois por muitos anos foi com este nome de que foi identificada, mas pelas questões de adequações estatutárias acabou se tornando Associação ao invés de permanecer com Sociedade. Atuo dentro do clube como assessor de imprensa, junto com o Gibran Pinto, que está à frente do marketing. Gostaria de fazer mais pelo clube, mas tenho que me limitar em algumas participações por conta dos demais compromissos assumidos.
Neste período que acompanho o time, recebi diversos e-mails e manifestações de pessoas. Algumas apoiando e outras criticando. A critica construtiva sempre é bem vinda. Mas a destrutiva só causa mais incômodo. Quanto a isso, por vezes presenciei o esforço hercúleo do presidente Plínio Pereira, que mesmo sem falar, fez muito mais do que muitos que pegam os microfones e bradam aos quatro ventos que ajudam, mas que na verdade só querem estar sob a mira dos holofotes e tirar proveito da situação. Aqueles que criticam, dificilmente despendem algum tempo ou um pouco de recurso para ajudar o time.
No inicio da temporada era aquela enxurrada de gente falando mal e desacreditando. No jogo anterior a derrota, quando o Santo Ângelo estava em uma situação privilegiada, com a vantagem, muitos apareceram no estádio, tiraram fotos e tudo mais. Quanto ao torcedor, esse fez sua parte, apoiou o time. Se a vitória não veio, foi o despreparo de alguns e principalmente a falta de recursos que impediram que o quadricolor fosse adiante. Sobre o quebra-quebra que supostamente foi protagonizado por alguns “ditos” jogadores, é no mínimo lamentável para não falar criminoso. As responsabilidades devem ser apuradas e os culpados devidamente punidos. Todavia não acho correto que pelo erro de uns poucos, que não deveriam estar jogando futebol e sim longe dos campos, pois não encaram o esporte e a profissão com a seriedade que merece, venham desqualificar o trabalho de uma abnegada diretoria, na figura do presidente e do diretor de futebol, o Edinho. São pessoas boas, que com muito esforço estão levando o clube.
Eu também fui e sou muito criticado por tentar ajudar o Santo Ângelo. Mas digo aos que enchem a boca para falar mal, critiquem o que não está bom na intenção de melhorar, mas não façam isso de forma leviana. Ao invés disso, arregacem as mangas e venham ajudar o clube que tanto precisa do auxilio e da união dos santo-angelenses. Do contrário, só resta fechar as portas. Por fim, continuo torcedor e na busca por ajudar a Associação Esportiva e Recreativa Santo Ângelo.

Neste artigo

Participe da conversa