Bastidores

 

241 0

Dengue

 

A epidemia de dengue que assola nosso município assusta à comunidade. Infelizmente alguns responsáveis pela saúde não se deram conta da gravidade do problema em Santo Ângelo e região. A 12ª Coordenadoria de Saúde, por exemplo, foi convidada diversas vezes para às reuniões na Câmara e sequer mandou um representante. Uma péssima postura para um órgão que deveria estar na dianteira no enfrentamento à esta epidemia.

 

E por falar nisso…

Durante à sessão na Câmara de Vereadores, ocorrida na última segunda-feira, dia 13, alguns vereadores demonstraram certa confusão para diferenciar o que é epidemia e endemia. Como nunca é tarde para aprender, inclusive o assunto me despertou o interesse, resolvi pesquisar os termos. Espero que nossos edis também tenham a mesma curiosidade.

Endemia* – É uma doença localizada em um espaço limitado denominado “faixa endêmica”. Isso quer dizer que, endemia é uma doença que se manifesta apenas numa determinada região, de causa local. Para entender melhor: endemia é qualquer doença que ocorre apenas em um determinado local ou região, não atingindo nem se espalhando para outras comunidades.

Enquanto a epidemia se espalha por outras localidades, a endemia tem duração continua porém, restrito a uma determinada área. No Brasil, existem áreas endêmicas. A título de exemplo, pode ser citada a febre amarela comum Amazônia. No período de infestação da doença, as pessoas que viajam para tal região precisam ser vacinadas. A dengue é outro exemplo de endemia, pois são registrados focos da doença em um espaço limitado, ou seja, ela não se espalha por toda uma região, ocorre apenas onde há incidência do mosquito transmissor da doença.

Epidemia* – É uma doença infecciosa e transmissível que ocorre numa comunidade ou região e pode se espalhar rapidamente entre as pessoas de outras regiões, originando um surto epidêmico. Isso poderá ocorrer por causa de um grande desequilíbrio (mutação) do agente transmissor da doença ou pelo surgimento de um novo agente (desconhecido). A gripe aviária, por exemplo, é uma doença “nova” que se iniciou como surto epidêmico.

 

Merece aplauso

Já que a coluna desta edição é praticamente toda volta ao assunto dengue, os aplausos de hoje seguem para toda comunidade, inclusive para alguns órgãos públicos que resolveram tomar uma atitude mais enérgica e estão efetuando ações diretas no combate a epidemia. Todos precisamos nos conscientizar que para erradicação da doença é necessário um esforço conjunto, na limpeza dos pátios e destruição dos criadores do mosquito. Também é fundamental que o poder público mantenha uma estrutura de postos de saúde e equipes especializadas na identificação e encaminhamento dos pacientes suspeitos de dengue.

 

Merece uma vaia

As vaias se estendem para às pessoas que teimam em não permitir acesso às suas residências por parte dos agentes da dengue. Colaborar com as ações de combate à doença é fundamental para nos livrarmos deste mal.

 

Mudando de assunto

A cada Conclave, onde é eleito um novo Papa, circula um ditado tão milenar quanto a própria Santa Madre Igreja. Segundo reza a lenda, “Quem entra Papa, sai cardeal”. Pois então, na aldeia não é diferente. Tem gente se lançando à prefeito, vice, vereador e até síndico. A “tentiada” é livre. Agora se o povo vai engolir essa e tantas outras, é uma história bem diferente.

Fonte: Infoescola

Neste artigo

Participe da conversa