Nível dos rios deixa a população em estado de alerta

Com a continuidade das chuvas a população de Santo Ângelo e Entre-Ijuís observam com atenção o nível do Rio

2044 0
Gráfico elaborado com dados monitorados na estação meteorológica do curso de agronomia da URI complementados com dados disponibilizados pela Cotrisa
Gráfico elaborado com dados monitorados na estação meteorológica do curso de agronomia da URI complementados com dados disponibilizados pela Cotrisa

Choveu mais de 500 milímetros no mês de maio e a população de Santo Ângelo e Entre-Ijuís observam com atenção o nível do Rio Ijuí. Na manhã de ontem a água já estava próxima de residências ribeirinhas. Na leitura disponibilizada pela ANA – Agência Nacional de Águas o gráfico assinalava a última medição oficial registrada no dia 29 às 7h, naquele momento na estação de monitoramento, foi registrado o nível de 5,4 metros. Contudo, as chuvas continuaram depois desta medição e o nível do rio continuou subindo. Quando o Rio Ijuí chegar a 6,5 metros já estará invadindo as casas.
No final da tarde de ontem, o Rio Piratini chegou ao nível da ponte da BR 285, próximo do Município de São Luiz Gonzaga. A Polícia Rodoviária Federal e técnicos do DNIT/RS estavam analisando a situação da ponte e as condições de trafegabilidade.
O transporte escolar na cidade de Vitória das Missões ficou comprometido e as aulas foram canceladas. Os policiais do 3º Pelotão de Polícia Rodoviária de Santo Ângelo informaram que até o final da tarde de ontem, nas rodovias estaduais da região, a chuva ou problemas decorrentes dela não causaram interrupção no fluxo de veículos.
Segundo relato de periódicos locais a maior cheia do Rio Ijuí foi registrada em maio de 1992, quando foi necessário interditar a ponte que une Santo Ângelo e Entre-Ijuís e o rio Alcançou mais de 12 metros de altura. Naquele período choveu os mesmos 500 milímetros, no entanto em curto período de tempo, não permitindo a vazão suficiente para não causar danos mais severos. Os 500 milímetros registrados neste ano foram distribuídos durante todo o mês.
O secretário de Agricultura do Município de Santo Ângelo, João Terra afirmou que está atento aos principais problemas nas estradas do interior, pois considera de vital importância para a população rural o escoamento da produção de leite e de grãos. Terra afirmou que tem o “mapa na mão”, ao se referir aos pontos mais críticos de possíveis atoleiros que podem interromper o transporte no interior do município.

Neste artigo

Participe da conversa