Sequestro de dados: O poder de uma praga virtual

607 0

Sempre quando falamos em algum tipo de praga virtual muitas vezes pensamos diretamente se possuímos um bom antivírus instalado em nosso computador. No final do ano passado se espalhou pelo Mundo uma praga “feroz” do tipo ramsonware, e desde lá tem se espalhado em computadores Windows ao redor do mundo inteiro, causando prejuízos astronômicos especialmente para médias e grandes empresas.
O malware é distribuído através de anexos de e-mails enviados em nome de remetentes conhecidos pela vítima, como instituições bancárias ou de ensino. Ao infectar a máquina, o vírus faz com que todos os arquivos do computador de vítima fiquem inacessíveis (o que chamamos de critpgrafia) e exige o pagamento de uma taxa que será redirecionada diretamente para a conta bancária do cibercriminoso.
Geralmente esse resgate varia de US$ 100 a US$ 700, mas nunca há garantia de que você realmente vai conseguir recuperar os dados do computador infectado mesmo após efetuar esse pagamento.

Essa praga chamada Crypto Locker costuma chantagear suas vítimas, fazendo ameaças e afirmando que os arquivos trancados serão deletados em breve caso o dinheiro não seja transferido em um número específico de horas.
A praga ainda afirma que qualquer tentativa de remover o software a força ocasionará na perda automática da chave utilizada para desencriptação as informações mantidas como refém.
Nossa recomendação é que sempre faça backup das informações mais críticas do seu computador, seja utilizando mídia físicas (pendrives, CDs, HDs externos) ou serviços de armazenamento na nuvem.
Dessa forma, caso seja infectado pelo Crypto Locker, você poderá formatar seu computador sem medo de perder seus arquivos mais importantes.

Neste artigo

Participe da conversa