Uma placa ou uma lixeira?

Onde havia uma lixeira, moradores do Bairro Cristal resolveram colocar uma placa com a seguinte inscrição: Por favor, não jogue lixo . A lixeira atraia entulho, animais mortos,...

472 0

Onde havia uma lixeira, moradores do Bairro Cristal resolveram colocar uma placa com a seguinte inscrição: Por favor, não jogue lixo . A lixeira atraia entulho, animais mortos, ratos e cobras. Com o aviso no local o primeiro dia do ano de 2018 foi de limpeza e esperança de que aquele espaço público seja mantido com mais higiene e saúde.

Limpesa dos Moradores do Bairro Cristal - Lixeira ou placa 05 (Copy)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trabalhavam no primeiro dia do ano naquele local, João Medeiros e Luiz da Costa. João disse “o rato vem onde há detritos e onde há rato, vem cobra. Já matei um ninho de jararacas aqui neste local”. O crescimento das ervas daninhas potencializa o perigo e o morador usa uma roçadeira doméstica para qualificar o local onde vive com sua família. A área fica abaixo de torres de alta tensão e tem recebido entulho, animais mortos, galhos de árvores, entre outros detritos que ficam expostos em meio as ervas daninhas.

Limpesa dos Moradores do Bairro Cristal - Lixeira ou placa 02 (Copy)

Diante dos limites de atuação do poder público, os moradores acabam investindo recursos próprios “a prefeitura raramente aparece para fazer uma limpeza e o lixo é colocado pelos próprios moradores da redondeza. Até gatos e cachorros mortos” completou o morador que cultiva uma bordadura de vincas em frente de sua residência.

Além de cultivar plantas na área de sua residência, João Medeiros resolveu também plantar algumas espécies frutíferas como ameixa silvestre, bergamota, limão e araçá na área onde o poder público não autua ou qualifica.

Outros moradores também utilizam o espaço para o plantio de hortaliças, como couve, abóbora, milho verde, entre outros alimentos e temperos para o consumo doméstico, melhorando o aspecto de limpeza e ajudando na economia doméstica.

 

Neste artigo

Participe da conversa