Frio mais intenso é passageiro e só voltará em agosto

Temperaturas baixas favorecem a formação de geadas ao amanhecer em Santo Ângelo. No entanto, os Meteorologistas informam que o frio mais intenso só retorna em agosto

373 0
Foto - Marcos Demeneghi - amanhecer no inverno de 2020 no interior de Santo Ângelo - Temperatura de seis décimos
Foto – Marcos Demeneghi – amanhecer no inverno de 2020 no interior de Santo Ângelo – Temperatura de seis décimos

Uma massa de origem polar passa pelo Rio Grande do Sul e favorece a formação de geada ao amanhecer. Na terça feira-feira, dia 14, a temperatura mais baixa registrada na estação meteorológica da URI, campus Santo Ângelo foi de seis décimos (0,6°) e favoreceu a formação de geadas, o que foi constatado nos campos e regiões mais baixas da cidade e do interior do município, fato que se repete nesta quarta, dia 15.

Apesar da forte queda de temperatura não há expectativa de que o cenário de frio intenso continue, pelo menos até o final de julho. Depois que essa onda de frio registrada no início da semana passar, o frio mais intenso reaparece somente no início de agosto.

Segundo Paulo Etchichury da Somar meteorologia às massas de ar de origem polar que entram pelo Rio Grande do Sul são desviadas para o oceano Atlântico, inclusive com precipitação mais concentrada na região do Rio Grande do Sul em virtude deste fenômeno. O pesquisador avalia que as águas mais frias do oceano pacífico, mesmo sem configurar La Niña, fazem com que os sistemas meteorológicos desviem do continente.

Várias cidades do Rio Grande do Sul registraram chuva acima do normal, com até 150 milímetros além da média, principalmente no centro-norte do estado. Como é o caso de Santo Ângelo, onde só nos primeiros 15 dias do mês de julho choveu 104 milímetros além da cota prevista para todo o mês. (Confira o gráfico na pg.7)

IMG_8037 (Copy) IMG_8023 (Copy) IMG_8005 (Copy)

Fotos: Marcos Demeneghi
Fotos: Marcos Demeneghi
Neste artigo

Participe da conversa