A pé de São Nicolau a Santo Ângelo

Um grupo de 11 peregrinos levou 10 dias para vencer um roteiro turístico, cultural e espiritual. Conheceram as peculiaridades da Rota Jesuítica no Brasil percorrendo 177 quilômetros

1367 0

Os aventureiros partiram de São Nicolau, considerada a “Primeira Querência do Rio Grande” e na manhã de ontem, dia 04, chegaram em Santo Ângelo, à última redução missioneira construída pelos padres espanhóis a mais de 300 anos (San Angel Custódio). Os peregrinos levaram 10 dias para vencer o trajeto. Conheceram as peculiaridades da cultura e da história da Rota Jesuítica no Brasil.

Peregrinos de São Nicolau a Santo Ângelo 08 (Copy)

Na chegada receberam um documento escrito em Guarani que certifica a participação neste roteiro e ao meio-dia participaram de um almoço de confraternização.

Além dos aspectos culturais e históricos os peregrinos também foram tomados pela “mística missioneira”, pois tiveram momentos de espiritualidade e os desafios pessoais que a caminhada impõe aos participantes.

Peregrinos de São Nicolau a Santo Ângelo 11 (Copy)

O casal Delni Chagas e Maria Loreta viveu a experiência juntos. Para Delni a superação pessoal e o processo de autoconhecimento foram os fatores que mais impactaram na caminhada. Os aspectos espirituais foram e continuam sendo para ele mais importantes. Percorreu os 177 quilômetros com uma mochila nas costas e confessou que levou coisas desnecessárias, contudo concluiu que ainda precisa praticar o desapego. Característica pessoal que desafia Delci a refazer o caminho com a mochila mais leve.

Maria aproveitou para conhecer a geografia e as características da terra vermelha. A grandiosidade da história, das extensões de terra, das pedras do caminho e a culinária e hospitalidade das pessoas, foram lembradas por ela nesta chegada. “Acredito que comecei esta aventura com uma certa ingenuidade, sem a noção de quantos caminhos pedregosos iriamos passar, mas valeu a pena”. A culinária é fantástica e a rica história de cada lugar também é grandiosa, completou a peregrina.

Participaram da caminhada: Iracema S. Gomes de Souza e Romeu Toczec Souza de Ponta Grossa; Maria Loreta Moro e Delni Chagas de Porto Alegre; Rubens Fernando Serafim, MArisete Correia Serafim, Bárbara Lívia Correia Serafim de Piracicaba, Vanderli Regina Campos de Curitiba, Maurício A Ribeiro Lopes e Flavia Durso de São Paulo e Rossana Benedetti de Progreso Canelones do Uruguai.


Detalhes do roteiro percorrido pelo grupo de peregrinos


Dia 26 de dezembro – Encontro do grupo na sede da Caminho das Missões em Santo Ângelo e viagem até São Nicolau, onde visitaram o Sítio Arqueológico São Nicolau e visitações em locais históricos daquela cidade.


Dia 27 de dezembro – Inicio da caminhada de São Nicolau, ao amanhecer atravessando campos e plantações, parada estratégica no km 16 em uma fazenda rural, e partiram para mais 15 km até a comunidade Rincão dos Teixeiras.


Dia 28 de dezembro – Percorrido um trecho de 17 km até a cidade de São Luiz Gonzaga. Na entrada da cidade visita a Gruta Nossa Senhora de Lourdes. A tarde visita guiada à Igreja com belíssimo acervo da estatuária missioneira, visitas ao museu municipal e Arqueológico. Restante da tarde e noite livre.


Dia 29 de dezembro – Trecho de 23 km até propriedade rural Sr. José e dona Ester Hospitaleiros do Caminho, convívio com vida interiorana, histórias e causos do dia a dia do homem do campo. Almoço; Jantar; Pernoite e café da manhã.


Dia 30 de dezembro – Início da caminhada antes do amanhecer. Visita no começo da manhã as ruínas de São Lourenço Mártir, considerado por muitos a mais mística das ruínas e em destaque a arqueologia missioneira. Após 12 km até chega-se ao Santuário do CAARÓ.


Dia 31 de dezembro – 23 km até São Miguel das Missões. A caminhada iniciou por campo na antiga estrada que ligava Caaró ao antigo povoado de San Miguel Arcanjo. Lá tiveram tempo livre e participaram de uma série de eventos programados para o Réveillon, assitiram ao Espetáculo Som & Luz e após realizaram uma Caminhada mística a luz de velas com visita e interpretação cênicas dentro do Sítio Arqueológico.


Dia 1º de janeiro – Deslocamento a pé, para o Sítio Aldeia e permaneceram conhecendo o Sítio Arqueológico de São Miguel das missões e participaram de outros eventos culturais e gastronômicos e espirituais.


Dia 2 de janeiro – Trecho de 17 km pela estrada percorrendo propriedades rurais, açudes, animais silvestres e lavoura irrigada. Parada para almoço em uma granja com interação do pessoal local e conhecer a diversidade de produção de grãos, por exemplo: ervilha, milho pipoca, feijão, soja, trigo, etc. A tarde mais 13 km até o antigo casarão do Sr. João de Matos. Noite com causos, histórias e declamações gauchescas.


Dia 3 de janeiro – Trecho, pela manhã, de 12,5 km até o Sítio Arqueológico de São João Batista. Visita ao antigo povoado que foi a 1ª fundição de ferro do sul do Brasil. Percorre trilha ecológica de uns 800m, conhecendo tipos de plantas e de árvores utilizadas por índios e padres jesuítas. Segue mais 4 km até propriedade de João e Marli para almoço e parada para descanso. A tarde segue mais 9 km até o balneário Parque das Fontes.


Dia 4 de janeiro – Chegada em Santo Ângelo encerramento com o grupo e entrega de certificados.

Neste artigo

Participe da conversa