O pavão do Seu Antônio

Uma família destas aves é criada solta em Distrito União e já ganhou a afeição dos moradores e curiosos que passam pelo local. Neste ano, uma galinha será...

550 0

pavao-do-antonio-do-distrito-uniao-1pavao-do-antonio-do-distrito-uniao-7O pavão do Seu Antônio está em época de acasalamento e para chamar atenção das cinco fêmeas que vivem com ele no Distrito União, interior de Santo Ângelo, exibe sua longa e colorida cauda. Neste mês de novembro, Antônio está recolhendo os ovos que encontra, pretende por meio de uma “galinha chocadeira” aumentar a família desta espécie de ave. Ele disse que vai utilizar uma galinha como mãe adotiva, pois conta que as fêmeas botam os ovos no campo ou no meio do mato, como consequência, a procriação fica comprometida porque predadores como os lagartos e gambas comem os ovos.
A experiência já obteve sucesso outras vezes. Antônio espera obter principalmente um macho, pois a população deste gênero está em desvantagem. O pavão é uma espécie de atração do Distrito União, pois vivem próximos da estrada e chama a atenção de quem passa, tendo em vista a curiosa formação de penas, que apresentam cores exuberantes e podem chegar até dois metros. O pavão do Seu Antônio frequentemente é fotografado e alvo dos olhares curiosos.
As aves vivem soltas na comunidade, alimentam-se de pequenos insetos e restos de vegetais. A comunidade colabora com os cuidados, pois elas vivem livres em convivência comunitária e pacífica, inclusive entre os outros bichos criados pelos moradores locais.
Segundo informações da revista Globo Rural, durante o choco, galinhas e peruas podem substituir as pavoas, que não são muito afeitas à prática. A reprodução ocorre entre setembro e janeiro com as aves que já atingiram 2,5 anos de vida, idade da maturidade sexual dos pavões. Com duas a três posturas por ano, a pavoa bota, em média, 23 ovos, que eclodem em cerca de 30 dias.
Antônio também explica que as coloridas e longas penas caem naturalmente e o pavão fica com aparência menor nas épocas em que não é de reprodução. O hábito de criar pavões desta família começou quando Antonio Ganhou um casal desta espécie do amigo Valter Siqueira, que também mora nas proximidades da comunidade.
O macho tem pescoço azul, com longas penas na cauda. Existe uma espécie que é denominada “Pavão Bombom” é a ave com a maior cauda do mundo, outra chamada “Pavão Sedentário” é o pavão que possui o pescoço mais longo. Nas fêmeas (pavoa): o pescoço é em tom verde, com resto das penas cinza.

Neste artigo

Participe da conversa