Conheça o projeto de serviço social “Construindo Meu Castelo”

Um brechó solidário integra as ações deste final de semana do projeto “Construindo Meu Castelo”. O atendimento será da 9h às 18h no sábado e das 9 às...

882 0

Jovens lideram o projeto de serviço social chamado “Construindo Meu Castelo” e em menos de dois meses já cadastraram e ajudaram 80 famílias em vulnerabilidade social residentes em Santo Ângelo. As ações solidárias que já impactam 300 pessoas foram organizadas a partir de visitas de reconhecimento e cadastro, o que permitiu personalizar o tipo de ajuda com base nas necessidades de cada um destes grupos familiares. Os donativos chegam a partir de uma rede de apoiadores e colaboradores anônimos conquistados com as demonstrações de organização do grupo.

A primeira reunião para formalizar do projeto de serviço social Construindo Meu Castelo foi convocada ainda no mês de maio por Roberta Possani e Laura Paulus, duas jovens estudantes do 8º semestre de Odontologia. Elas contam que em pouco tempo o grupo de apoiadores já inclui 50 pessoas, cerca de 20 delas participam efetivamente da organização e ainda possui uma rede de colaboradores que não para de crescer. A dupla visitou O Mensageiro na quarta-feira, dia 15, que também já é parceiros de divulgação do projeto “Construindo meu Castelo”.

Os apoiadores contribuem com tempo e trabalho, cuidam da arrecadação, estocagem separação, embalagem até a distribuição. Já os colaboradores ajudam quando e com o que podem, mas são surpreendentes, afirma Roberta. As doações são tanto em dinheiro ou em materiais como roupas, alimentos, cobertores, material de higiene, móveis, materiais de construção, entre outros.

A estrutura de ajuda conta com suporte de divulgação nas redes sociais, voluntários encarregados em diversas frentes de trabalho, caixas solidárias de arrecadação que ficam em estabelecimentos e entidades parcerias, onde donativos podem ser depositados.

O grupo também realiza as populares “Vaquinhas Solidárias” on-line e conta ainda com contas para recebimento de recursos financeiros. Roberta e Laura explicam que as famílias selecionadas realmente precisam do apoio, pois as condições de moradia em que se encontram não oferecem a proteção que necessitam.

Roberta esclarece que o nome do projeto veio de um ditado popular que incentiva as pessoas a construírem os seus castelos com as pedras do caminho. No entanto, ela compreende que quem está em vulnerabilidade social precisa de uma ajuda externa para acreditar na possibilidade de construir seus castelos.

Roberta conta que participou de missões transculturais no Paraguai e tinha a vontade de fazer algo em sua cidade natal. Foi então que convidou amigos para saírem a campo perceberem que famílias realmente precisavam de ajuda, realizaram um cadastro e começaram o envolvimento e compromisso solidário do projeto.

Na fala destas jovens elas relatam suas experiências e revelam a importância de ofertar mais que os bens materiais, pois já compreenderam que as pessoas necessitam de apoio e afetuosidade. Quanto ao apoio material para estas famílias procuram direcionar produtos que estão em função da necessidade de contexto de cada família, pois acreditam que não é só roupa ou alimento que falta para as pessoas, desde um absorvente ou produto de higiene que pode trazer mais conforto para as pessoas.

Brechó solidário

Um brechó solidário integra as ações deste final de semana do projeto “Construindo Meu Castelo”. O atendimento será da 9h às 18h no sábado e das 9 às 14h no domingo. Todo o valor arrecadado com a venda das peças será revertido para compra de alimentos e produtos de higiene. O brechó será na Rua 10 de novembro, 305.

Construindo Meu Castelo - 01 (Copy) VIH_1393 (Copy) VIH_1924 (Copy)

Laura Paulus, Roberta Possani e Amauri Lírio
Laura Paulus, Roberta Possani e Amauri Lírio
Neste artigo

Participe da conversa