Unimed anuncia um hospital para abrigar “a vida em movimento”

Uma das etapas do projeto denominado “Designer para o Futuro” prevê para fevereiro de 2021 o início das obras de ampliação da estrutura já existente na Av. Rio...

231 0
Reprodução feita a partir do vídeo apresentado no lançamento
Reprodução feita a partir do vídeo apresentado no lançamento

Projeto de ampliação na capacidade de atendimento do Hospital da Unimed em Santo Ângelo foi anunciado na noite de quinta-feira, dia 25, no Villas Hotel e ao vivo pelo YouTube. Uma das etapas do projeto denominado “Designer para o Futuro” prevê para fevereiro de 2021 o início das obras de ampliação da estrutura já existente na Av. Rio Grande do Sul e conclusão para outubro de 2022 de uma torre composta por 12800m² de construção, a edificação contará com nove pavimentos e um investimento de R$ 50 milhões. Esta etapa pretende resultar em 100 novos empregos diretos e cumprir o objetivo de reformular todo o sistema de atendimento em saúde dentro do hospital da UNIMED. Mudança que será articulada entre o quadro de profissionais, processos de trabalho, prédios e tecnologias.

“Reforçar o papel de Santo Ângelo como um polo regional em saúde”, anunciou o presidente da Cooperativa Unimed Missões Dr. Roberto Valandro Bellinaso que recepcionou os presentes e saudou quem acompanhava pela internet. “Cuidar das pessoas e oferecer soluções em saúde, tanto na baixa, média e alta complexidade” foram palavras usadas por Valandro antes de entregar para a explanação de Lauro Michelin CEO da L+ M, que seguiu com o detalhamento do projeto.

Em suma, Lauro Michelin da L+M, além de trazer explicações técnicas da edificação e sua arquitetura sustentável, falou em proporcionar para o maior número de pessoas acesso a hospitalidade de excelência e evidenciou que o prédio sozinho não resolve a questão, neste sentido reforçou a importância dos funcionários da UNIMED, dos médicos em seus consultórios e falou que o empreendimento anunciado vai “abrigar vida em movimento”.

A torre será composta por nove pavimentos, com recepção voltada para a Av. Venâncio Aires, espaços para um novo centro de infusão e de serviços de apoio, área para serviços de atenção primária em saúde, uma nova terapia intensiva e semi-intensiva, uma praça com serviços de apoio para a formação continuada, uma capela ecumênica, casa do cooperado, internações e bloco operatório.

A nova configuração estará integrada a estrutura já existente, inclusive com passarelas que também servirão para áreas de convivência. No entanto, a entrada principal será pela Av. Venâncio Aires, mesmo assim, terá entradas pela Gaspar Martins e Av. Rio Grande do Sul. O projeto pretende facilitar a separação dos fluxos de operação para que os visitantes de serviços de apoio possam trabalhar em conjunto.

“Acolher para deixar o metabolismo das pessoas em paz, e fazer com este metabolismo em paz, guarde energia para se cuidar” afirmou Lauro Michelin da L+M que também explicou como serão trabalhadas as questões de sustentabilidade. A edificação está projetada para otimizar o rendimento térmico, ou seja, será evitada a incidência direta de sol nos vidros que ficam na face norte e feito o aproveitamento da luz solar na face sul, onde o sol não incide de modo tão ostensivo. O princípio de menor tamanho possível em metros quadrados também é uma questão que envolve sustentabilidade e relembrada por Lauro, que falou em evitar gastos desnecessários.

Com a implantação da usina fotovoltaica que será entregue em dezembro deste ano, o hospital de Santo Ângelo será o segundo do Brasil a possuir esta autossuficiência energética dentro da rede.

No entanto, o propósito de valorizar o bem estar dos usuários deste novo espaço de saúde foi uma das questões mais lembradas pelos gestores durante o anúncio.

Texto e edição | Marcos Demeneghi

projeto (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa