Provedora do HSA troca a direção administrativa e meses depois abandona o cargo

A Provedora do Hospital Santo Ângelo, Iara Fortes, deixa o cargo assumido em dezembro de 2020 alegando ‘questões de foro íntimo’

221 0

Nota da ex-provedora

“Comunico que estou me afastando da Provedoria e Direção do HSA por motivos de foro íntimo. Foi uma caminhada prazerosa e profícua com importantes encaminhamentos tanto na gestão  quanto na administração  desta importante Casa de Saúde. Meus agradecimentos a todos que vieram comigo nesta caminhada até aqui; a todos que acompanharam meu trabalho voluntário, principalmente a GV Consulting por ter aceito o desafio de administrar nosso hospital. Aos colaboradores que formam a Família Hospital Santo Ângelo deixo meu carinhoso abraço pelo apoio recebido”.


Quando Iara Fortes assumiu o cargo no final do ano de 2020, afirmou que havia aceitado o desafio, pois tinha o apoio de empresários e industriais. Afirmando que era necessário “cuidar da saúde do Hospital para dar saúde à população”.
Uma das ações de maior repercussão em sua curta gestão, foi a troca a direção administrativa do Hospital Santo Ângelo. Em abril de 2021, Marcelo de Oliveira Borges foi destituído do cargo de diretor administrativo, no qual atuou de junho de 2017 até abril de 2021. Natural de Porto Alegre, com mais de 30 anos de experiência em gestão hospitalar, ao sair demonstrou gratidão aos colegas e fez uma menção especial o Sr. Odorico Bessa Almeida e Léo Mousquer, pessoas de seu convívio e com quem acredita que aprendeu muito nesta passagem pelo hospital.
No lugar assumiram Gelson Luis Schneider e Ricardo De Marchi Nicolau, administradores a serviço da GV Consulting. Esta empresa se intitula especializada em Gestão de Instituições de Saúde e anuncia que já atuou nos estados Paraná, Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, como no Hospital Santa Casa de Rio Grande.
A GV Consulting também não esconde sua tendência de desvalorização do sistema de saúde público brasileiro. Mantém um perfil em redes sociais (facebook) na qual usa notícias que envolvem casos de despreparo de hospitais e profissionais da saúde para formar uma narrativa social de desvalorização dos hospitais públicos e filantrópicos. O maior número de notícias publicadas em seu perfil informam catástrofes envolvendo instituições hospitalares. Além disso, demostra tendência política partidária que desvaloriza o SUS e procura qualificar a rede privada como superior a pública.

Confira algumas manchetes postadas no perfil da gv consulting:

“Metade dos internados em UTI covid no SUS morre; taxa é quase o dobro que em hospitais privados”

“Presos em Porto Alegre suspeitos de desviar medicamento do HPS para fabricar droga | GZH”

“Mulher tenta roubar bebê de maternidade de Curitiba para vendê-lo por R$ 10 mil”

“Exclusivo: 80% dos intubados por covid-19 morreram no Brasil em 2020”

“Covid-19 acentua crise do setor de hemodiálise e 140 mil brasileiros correm risco sem tratamento…”

“Incêndios atingem mais de dez hospitais no país apenas em 2019”…

A atuação da GV Consulting destoa da maioria das instituições de saúde que, via de regra, não se utilizam de notícias sensacionalistas ou alarmistas em suas publicações direcionadas a sociedade.

 

Neste artigo

Participe da conversa