Grupo Jardim: Há 38 anos atuando em Santo Ângelo

Com reuniões duas vezes por semana os Alcoólicos Anônimos ajudam as pessoas que pretendem abandonar o álcool

345 0
O grupo aluga uma sala no Bairro Pippi e oferece literatura de apoio e encontros todas as quartas e sábados
O grupo aluga uma sala no Bairro Pippi e oferece literatura de apoio e encontros todas as quartas e sábados

Cheguei e pude identificar a placa: Alcoólicos Anônimos – Grupo Jardim. Sem a noção exata do que encontraria ao passar por aquela porta, entrei. Horas antes, naquela quarta-feira, dia 14 de dezembro, recebi um convite para participar daquela reunião.

O que vi
No relógio, 20h01min e quando atravessei a porta, a reunião estava começando. Na sala encontrei cerca de 10 homens sentados em cadeiras de palha e madeira, uma literatura exposta e uma placa luminosa, posta a mesa, que chamava a atenção por sua luz, mas principalmente pela mensagem: “Evite o primeiro gole de 24 em 24 horas”. O encontro ocorre em uma sala alugada da Igreja Santo Antônio no Bairro Pippi.
Alguém conduzia o encontro e em pé, todos foram convidados a uma breve reflexão em torno da serenidade, da coragem e sabedoria.
Naquela reunião eu era um anônimo e logo no início o mediador do grupo saudou-me com boas-vindas. Enquanto escutava uma breve leitura sobre o comportamento inicial de quem busca deixar o vício, uma mão que veio de traz ofereceu-me um chimarrão.
A reunião obedece um ritual dinâmico e tem um propósito bem definido. Aqueles homens buscam a unidade no conjunto, promovem a troca de experiência e buscam a superação pessoal, bem como o autoconhecimento. Contudo, os participantes primam pelo anonimato de quem frequenta, sou seja, o cuidado para não expor a imagem dos companheiros.

As narrativas
A reunião é pontual e também dinâmica. Logo alguém levantou, saudou-me, pois percebeu que eu estava ali pela primeira vez. Um homem convicto e sereno veio dar o seu depoimento. Falou do passado e do presente.
Do passado contou fatos que construíram uma trajetória marcada pela falta de credibilidade na família, medo de ficar com problemas mentais, perda de memória, falta de pontualidade.
Do presente falou de felicidade, encontro com a família, auto amor, e, por fim, completou dizendo “se no passado tinha problemas… Hoje tenho assuntos à resolver”.
Aquele homem parecia conhecer a fundo o funcionamento do grupo e o propósito ao qual foi criado.

Sem máscaras
Durante a reunião ocorreu mais uma rápida leitura do mediador e logo outro companheiro do grupo levantou-se:  “Hoje não bebi”. Disse o anônimo em sua primeira fala. Logo olhei para a placa luminosa. Ele também apontou para a porta e disse: “O mais difícil é entrar pela porta dos Alcoólicos Anônimos pela primeira vez. Existem centenas de pessoas que escondem o problema, mas há pessoas que precisam de ajuda em todas as classes sociais”.
Não foi exatamente nesta ordem cronológica que aquele anônimo construiu sua narrativa, mas resumo em poucas palavras o que foi dito: “Desde a primeira reunião escutei palavras que eu nunca escutava: Responsabilidade e confiança. Sei da doença que tenho! Sei que é de 24, em 24 horas! Sei das consequências fatais e progressivas dos vícios. Mas devo dizer que, no passado já tentei deixar de beber e usar drogas sozinho, mas ficava apenas três ou quatro dias sem consumir o álcool e a droga! Não é fácil, mas aqui, aprendemos a nos enxergar e reconhecer nossas fraquezas e também as virtudes.
No primeiro encontro disseram que eu era a pessoa mais importante da reunião, aqui há companheirismo, ninguém está nos fiscalizando, não há cobrança, mas aprendemos a ter responsabilidade com nos mesmos. Já contei quantas vezes já me ofereceram bebida em uma mesma noite: Foram 56 vezes. Aqui venho, escuto e aprendo algo novo. “São palavras e ensinamentos que me ajudam a permanecer longe do álcool, afastado do primeiro gole.”

Grupo Jardim
As reuniões dos Alcoólicos Anônimos em Santo Ângelo são realizadas desde o ano de 1979. Atualmente ocorrem em uma sala alugada no Salão Paroquial da Igreja Santo Antônio no Bairro Pippi, todas as quartas-feiras, às 20h e aos sábados às 15h. Não há vinculação com nenhuma denominação religiosa e o grupo é mantido com a contribuição espontânea dos participantes. Qualquer pessoa que enfrenta dificuldade de afastar-se da bebida ou outro tipo de droga pode passar pela porta dos Alcoólicos Anônimos, será bem-vinda e terá seu anonimato garantido, afirmaram os participantes.

Oração da Serenidade

“Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras”

Declaração de Resposabilidade
“Eu sou Responsável… quando qualquer um, seja onde for, estender a mão pedindo ajuda, quero que a mão A.A. esteja alí. E por isso: Eu sou resposável

Neste artigo

Participe da conversa