Governo defere recurso e Santo Ângelo permanece na bandeira laranja

Estado reconsiderou a indicação de restrições mais severas após contestação que apontou inconsistências nos números

162 0

Jornal - Marcos copy

O governador do Estado, Eduardo Leite, acolheu o recurso de Santo Ângelo e macrorregião missioneira para a permanência na bandeira laranja.

O município havia sido indicado para restrições da bandeira vermelha pelo Distanciamento Controlado do Governo do Estado e que passaria a vigorar a partir desta terça-feira, 21. Com o deferimento, Santo Ângelo e região permanecem sob as restrições da bandeira laranja.

De acordo com o chefe do Executivo gaúcho, o pedido de reconsideração foi aceito a partir da constatação de melhorias nos indicadores regionais, considerando a estabilização do número de internações hospitalares em leitos clínicos e de UTI, de casos ativos, de óbitos e o aumento do índice de pessoas recuperadas da Covid-19.

O recurso foi protocolado na tarde de sábado, pelo prefeito Jacques Barbosa, após avaliação técnica que apontou inconsistências na planilha analisada pelo Estado e os números computados na macrorregião de Santo Ângelo.

Jacques defendeu que no período analisado, a região registrou apurada melhora em cinco indicadores dos onze avaliados pelo Estado. Segundo o prefeito, a R11 tem 25 municípios e cerca de 300 mil habitantes, e registrou apenas dez internações COVID na semana 10. “O índice de internações reduziu 43% no período”, apurou.

Na análise também foi registrada a redução no número de casos ativos da Covid-19, de 35 para 29 no período sob recurso, mantendo a região com índices estáveis e aprimorando os critérios para a redução do número de novos registros.

Participaram da revisão dos dados, o deputado Eduardo Loureiro, o secretário municipal de Saúde, Luis Carlos Cavalheiro, a enfermeira Daniana Pompeo, da Comissão de Vigilância Epidemiológica de Prevenção e Combate à Covid-19 da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e Mauro Tschiedel, vice-presidente da ACISA e representante das entidades de classe.

Neste artigo

Participe da conversa