Waldomiro Hampel: O primeiro patrão

Ele busca memórias do ano de 1968, quando ainda se considerava um “guri”, para contar que conseguiu juntar mais de “mil pila” para iniciar a história do CTG...

715 0

CTG - A Voz dos Panpas (Copy)Waldomiro Hampel é morador do Distrito União, localidade do interior de Santo Ângelo. Ele busca memórias do ano de 1968, quando ainda se considerava um “guri”, para contar que conseguiu juntar mais de “mil pila” para iniciar a história do CTG “A Voz dos Pampas”.

A entidade nasceu definitivamente no dia 29 de junho de 1968. A Voz dos Pampas foi idealizada em baixo de um plátano no potreiro da propriedade de Waldomiro Hampel quando reuniram-se o Sr. Maximiliano Bogo,Tenente Martins, Olívio Dorneles para concretizarem a ideia de criar um Centro de Tradições Gaúchas, sugestão de Pompílio Lemos de Oliveira. Aquele grupo queria fundar um lugar onde fossem realizadas atividades de lazer, esporte e cultura, congregando os moradores, mas também queriam que os recursos obtidos com as atividades, revertessem para a própria comunidade.

“Mil pila”

O projeto ganhou força depois que Waldomiro, no potreiro onde a comunidade jogava futebol, formou uma copa para venda de bebidas, ele juntou os recursos (mil pila) necessários para comprar as madeiras que finalmente dariam forma para a cinquentenária entidade que faz história no Distrito União e comemora o aniversário no próximo domingo.

Naquele primeiro momento Waldomiro e D. Veleda foram escolhidos patrões da entidade. Também eram membros da patronagem o Sr. Herberto Rodhe, Armindo Henzel, Pompílio de Oliveira, Antonio Liberalesso, Leopoldo Rentz, Armindo Retslaff.

O atual presidente da entidade Anderson Teloeken conta sobre o relato dos primeiros patrões que falam emocionados sobre aquele tempo. “Vocês nem sabem como isso era bonito, na Semana Farroupilha e mesmo em outras datas, cada um trazia uma galinha, fazíamos uma galinhada e ao som do gaiteiro dançávamos na serragem a noite toda.” Waldomiro Hampel esteve como patrão nos anos 1968 e 1969. Nos anos 70 e 71 o Sr. Leopoldo Hung de Lima, nos anos 71 e 72 retorna Waldomiro Hempel. Em 1973 foi eleito como patrão Pompílio Lemos de Oliveira. Assim se sucederam uma personalidades que construíram a história do CTG – A Voz dos Pampas.

Um churrasco pra lá de bagual
O lema da entidade é os “Tentos do passado é a presilha do presente” e neste domingo, dia 1º, será realizada uma festa de aniversário animada pelos Garotos do Fandango. Será lançado um memorial e feita uma homenagem à ex-prendas, peões e ex-patrões.

Nesta semana o atual patrão Anderson Teloekem esteve no Mensageiro convidando toda a comunidade para a festa do cinquentenário. Ele disse que ao meio-dia será servido um churrasco “pra lá de bagual” com todos os acompanhamentos. A tarde será possível assistir a Invernada de Danças e baile segue com os Garotos do Fandango.

Tudo começa com uma missa crioula, às 10h. A entrada é franca e o convite é estendido a todos do interior e da cidade.

Neste artigo

Participe da conversa