Sujamos, captamos, tratamos, distribuímos e bebemos

O extraordinário, para a ciência do jornalismo é um dos critérios de noticiabilidade, ou seja, para um fato se tornar notícia o editor leva em conta o caráter...

396 0

O extraordinário, para a ciência do jornalismo é um dos critérios de noticiabilidade, ou seja, para um fato se tornar notícia o editor leva em conta o caráter de excepcionalidade que ocorre, algo que seja incomum e desperte a curiosidade.

No entanto, existem outros critérios e um deles se opõe ao extraordinário, que é a frequência que o fato ocorre, este segundo, quando envolve o interesse público e um número considerável das pessoas de uma região também evoca critérios de noticiabilidade, como proximidade regional e o impacto social.

O conteúdo desta página imprime uma foto e um texto explicativo que pode ser definido como um “fato que ocorre diariamente; que é comum a todos os dias; diário; banal, como o nome sugere “Retrato Cotidiano”.

Dito isso, vale lembrar que 25% da população de Santo Ângelo bebe água captada do Rio (ou arroio) Itaquarinchim (ou Itaquarichim) não é a maioria mas corresponde a ¼ da população, além de que, possuímos um sistema de abastecimento interligado, no qual o fluxo de água se mistura, dependendo da situação de consumo e de abastecimento, mas, enfim.

Caminhoneiros (5) (Copy)

 

O retrato cotidiano mostra que sujamos o rio para depois beber a água dele. Pois a foto mostra que o rio está poluído, há um banco de carro e uma crosta de matéria suspensa próxima das pedras amontoadas pela população que transformou aquele lugar em uma zona de lazer.

Seria algo lúdico e até salutar, não fosse a proximidade deste lugar com a zona de captação de água para a potabilidade dos habitantes de Santo Ângelo.

Neste artigo

Participe da conversa