Portão aberto, ônibus parados

Usuários das 22 linhas de transporte que circulam na zona urbana de Santo Ângelo e mais aqueles que fazem a rota Santo Ângelo/Entre-Ijuís ficaram sem transporte coletivo.

207 0

Paralização motoristas (5) (Copy)Motoristas e cobradores paralisaram as atividades e a frota de ônibus da Viação Tiaraju permaneceu na garagem durante 24h na terça-feira, dia 23. A paralisação foi suspensa temporariamente e hoje os ônibus voltam a circular. Entre as reivindicações não atendidas está o pagamento de um auxílio alimentação no valor de R$ 200.
Ainda na manhã de ontem o diretor da empresa disse que estava disposto a pagar a reposição salarial requisitada no valor de 2%, porém não foi chegado a um entendimento sobre o valor do auxílio alimentação.
O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários de Santo Ângelo está tentando uma negociação e será realizada uma mediação com a direção da empresa, reunião que deve ocorrer entre quinta e sexta-feira no TRT 4 – Tribunal Regional do Trabalho em Porto Alegre. Caso as partes não entrem em acordo a classe promete paralisar novamente.

O dia de paralisação
Os trabalhadores desta empresa ficaram concentrados próximos ao portão principal da garagem. No entanto, não houve obstrução para os colegas que desejassem trabalhar, pois conforme se manifestaram os representantes da classe, naquele ato, a reivindicação era comum de todos e tinha adesão unânime e de 100% dos trabalhadores.
Como consequência os usuários das 22 linhas de transporte que circulam na zona urbana de Santo Ângelo e mais aqueles que fazem a rota Santo Ângelo/Entre-Ijuís ficaram sem transporte coletivo.
Antes deste ato considerado mais extremo os representantes dos motoristas alegam que foram realizadas tentativas de diálogo, mas a direção se mostrou intransigente quanto ao atendimento das reivindicações. Diante disso, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários de Santo Ângelo, publicou um edital avisando da paralisação, comunicou o poder público e não descarta possibilidade de que os motoristas façam mais manifestações e até mesmo a greve.
A advogada do Sindicato, Andreia da Rosa se manifestou em prol dos trabalhadores alertando que eles se doam para a empresa, cumprem horários rígidos e precisam ser valorizados, fala que ganhou o aplauso espontâneo dos trabalhadores concentrados no local.

Paralização motoristas (4) (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa