Pesquisa de investimentos

Na análise da administração municipal, nos dois últimos anos, foram gerados cerca de dois mil novos postos de trabalho.

66 0

3-i-Construção Civil-foto fernando gomes (Copy)O Governo Municipal divulgou uma pesquisa com foco na economia local e afirma que o município de Santo Ângelo deve fechar 2018 com mais de R$ 150 milhões investidos pela iniciativa privada. O destaque é para setores como a construção civil e para a expansão de indústrias locais. Na análise da administração municipal, nos dois últimos anos, foram gerados cerca de dois mil novos postos de trabalho.

EMPREENDIMENTOS
Segundo o secretário de Indústria e Comércio, João Baptista Santos da Silva, a construção civil tem sido o carro chefe dos investimentos do período, com valores estimados em R$ 77 milhões, com edificações que estão movimentando também o mercado imobiliário. Os empreendimentos representam mais de 50% dos investimentos estimados para este ano.
Ele citou como exemplo, pelo menos seis investimentos no setor: o Condomínio Residencial Terra Missões, orçado em R$ 30 milhões, com a construção de 380 apartamentos – 100 já entregues aos mutuários -; um novo empreendimento avaliado em R$ 9 milhões com 32 apartamentos na zona sul da cidade; no Bairro Kurtz, com 30 apartamentos e custo aproximado de R$ 3 milhões; e a construção de um centro residencial e comercial no centro da cidade, de cerca de R$ 30 milhões, que deve ser anunciado em outubro; além do Conjunto Residencial Gaia, que está em construção, na esquina das ruas Florêncio de Abreu e Sete de Setembro. Baptista também computou as obras do novo hotel, na Avenida Ipiranga, com 150 apartamentos e centro de convenções, representando R$ 5 milhões de investimento privado.
O secretário contabiliza ainda, o anúncio dos administradores do Posto Santa Terezinha, para os próximos meses, do início das atividades do mais novo empreendimento, o Transportador, Revendedor e Retalhista (TRR), investimento girando em torno dos R$ 3 milhões.

EXPANSÃO
O investimento estimado das indústrias locais na expansão de suas plantas alcança a soma de R$ 48 milhões.
A Alibem Alimentos, por exemplo, está aportando R$ 15 milhões na construção e instalação de uma nova caldeira, na modernização das linhas de produção, na refrigeração, estocagem e expedição, para atender o aumento da demanda de abate que passou para 3000 suínos ao dia.
O Frigorífico Callegaro tem encaminhado a documentação para a ampliação da sua linha de abate e beneficiamento bovino em 30%, investimento avaliado em cerca de R$ 10 milhões.
O Laboratório Tiaraju deverá inaugurar em outubro, a sua nova planta industrial, de padrão mundial, para a produção de medicamentos em soft gel (cápsula mole), onde está investindo cerca de R$ 16 milhões.
A Fundimisa está instalando uma nova e moderna fábrica de pintura, orçada em R$ 7 milhões.

Neste artigo

Participe da conversa