Nasce um bezerro

Cenas foi presenciada pela equipe do Mensageiro na tarde da última sexta-feira, dia 21, no interior das missões.

172 0

Nasce um bezerro (Copy)O interior missioneiro proporciona a observação do cotidiano dos animais, uma das cenas presenciadas pela equipe do Mensageiro na tarde da última sexta-feira, dia 21, foi o nascimento de um bezerro. A mãe acolhe o cria e cuida para que ele se adapte ao novo ambiente.
Segundo informações do CPT – Centro de Informações Técnicas, disponíveis na internet, assim que o bezerro nasce, a mãe o lambe, retirando as membranas fetais e mucos. Simultaneamente, o seu corpo é massageado, o que é muito importante para o recém-nascido. Portanto, a intervenção do tratador só deverá acontecer após essa massagem que poderá remover as membranas fetais e o excesso de muco do nariz e boca do bezerro.
Do mesmo modo que os Bebês humanos a ingestão de colostro é considerada importante para a cria ganhar imunidade. O colostro é o primeiro alimento que o bezerro consome ao nascer e possui um grande valor nutritivo. Ele é a primeira “vacina” que o bezerro recebe. Principalmente porque, nos bovinos, a passagem de imunidade da mãe para o filho dificilmente ocorre pela placenta, deixando o bezerro praticamente desprotegido ao nascer. Desta forma, há a necessidade da ingestão do colostro.
O colostro, especialmente o da primeira mamada, é quatro a cinco vezes mais rico em proteínas que o leite comum, pobre em lactose e gorduras, tem mais minerais e vitaminas que o leite normal, e, além de fornecer anticorpos, é rico em proteínas, minerais, enzimas e vitaminas e, ligeiramente laxativo, antitóxico e energético.
A cura do umbigo deve ser feita logo após a mamada do colostro, pois o bezerro recém-nascido fica com uma porção do umbigo não cicatrizada exposta, onde podem surgir bicheiras ou infecções. A maneira correta de tratar o umbigo é cortá-lo, dois a três dedos abaixo de sua inserção, não sendo necessário cortar, se ele tem um tamanho menor.

Neste artigo

Participe da conversa