Material orgânico não retorna à Terra

“O material orgânico retirado da praça por meio da limpeza poderia ser reintegrado ao solo, depois de transformado em adubo” a ideia é do Sr. Antônio João Coleto,...

91 0

Antonio João Coleto 02“O material orgânico retirado da praça por meio da limpeza poderia ser reintegrado ao solo, depois de transformado em adubo” a ideia é do Sr. Antônio João Coleto, 62 anos, ele e a Praça Pinheiro Machado tem uma relação que já persiste durante nove anos. Diariamente recolhe as folhas, galhos, pedras e também embalagens de alimentos e de bebidas deixadas pelos frequentadores daquele espaço público.
Em contrapartida, o local no qual cumpre a sua função, proporciona o contato direto com a natureza, pois ele considera que as árvores existentes na Praça Pinheiro Machado, constituem um dos patrimônios mais belos daquele espaço.
Ele entende que as folhas e galhos que são retirados para que o visual da praça esteja adequado à visitação dos moradores e dos turistas, deveriam ser transformados em adubo e, posteriormente, reintegrados ao solo como forma de fertilidade.
Antônio acredita que as pessoas estão mais conscientes, cuidam mais da praça. Para incentivar os frequentadores a usarem mais as lixeiras, na opinião do servidor, seria adequado a colocação de uma lixeira por banco, ele percebe que a proximidade deste dispositivo de descarte contribui para a manutenção da Praça. Ao chamar a atenção para o descarte correto do lixo, Antônio já ouviu frases como: “O Senhor é pago para limpar!” Ele prefere não discutir e segue trabalhando e cumprindo a sua função, mas sempre que necessário conscientiza as novas gerações.
Quanto a segurança e o vandalismo Antonio disse que está bem mais calmo nos últimos tempos, o trabalho da brigada e a rotina de trabalho dele e dos colegas, ajuda a coibir a circulação de pessoas estranhas e mal intencionadas. Quando necessário ele mesmo chama o patrulhamento da Brigada Militar.

Neste artigo

Participe da conversa