A história do Guapuruvu da Praça Pinheiro Machado

Um Guapuruvu existente na praça Pinheiro Machado em Santo Ângelo tem uma história particular de recuperação que foi protagonizada por um dos mais influentes biólogos gaúchos e brasileiros,...

438 0

Um exemplar da espécie Guapuruvu faz parte da história da praça Pinheiro Machado, e depois do último vendaval que ocasionou o tombamento de uma Tipuana, tornou-se ainda mais imponente e percebido naquele espaço público, principalmente por possuir uma história particular de recuperação que foi protagonizada por um dos mais influentes biólogos gaúchos e brasileiros, José Lutzenberger.

Guapuruvu - Árvore de lutzemberger (Copy)
Árvore na Praça Pinheiro Machado – Guapuruvu (Schizolobium excelsum vog) Foto: Marcos Demeneghi

O Guapuruvu é uma planta de rápido crescimento e por este motivo é considerada ótima para reflorestamentos de áreas degradadas de preservação permanente em composições mistas.

O Guapuruvu recebe o nome científico Schizolobium excelsum vog e o exemplar da espécie só se mantêm na praça porque foi submetido a uma intervenção denominada dendrocirurgia, procedimento aplicado pelo Biólogo José Lutzemberger, inclusive um totem de identificação foi implantado, próximo dela, informando a relação com este ambientalista que tem atuação reconhecida em todo o Brasil, inclusive internacional.

A técnica de Dendrocirurgia, segundo informações do professor Luiz de Queiroz da Escola superior de Agricultura da USP, cumpre o objetivo de recuperação de árvores maduras por meio da eliminação de tecidos e partes defeituosas ou necrosadas, especialmente da região do tronco, com posterior desinfecção com fungicidas e preenchimento das cavidades com material estruturante com o intuito de sustar a progressão da lesão ou propiciar cicatrização do tecido.

Esta espécie, segundo informações botânicas disponíveis no site http://www.tropicaltimber.info/, é rara ao longo de encostas íngremes, e topos de morros, e bastante frequente nas planícies aluviais ao longo de rios. Nas depressões das encostas chega a formar densos agrupamentos. Prefere as matas abertas e capoeiras, sendo rara na floresta primária densa. É uma árvore nativa da América e possui distribuição natural em florestas litorâneas, desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, sendo comum em capoeiras e roçadas. Vem desde o sul do México e América Central.

Quanto ao Biólogo José Lutzemberger, vale saber que foi considerado um ícone da causa ecológica no Brasil, criou a Fundação Gaia, dedicada à promoção de um modelo de vida sustentável, presidindo-a até sua morte em 2002. Para este ambientalista, “a ecosfera não é um simples sistema homeostático, automático, químico-mecânico. O planeta Terra é um ser vivo, um ente vivo com identidade própria, o único de sua espécie que conhecemos.”

José Lutzemberger foi um porta-voz do movimento ambientalista brasileiro no exterior. Tinha um sólido preparo intelectual e científico, o que lhe possibilitou sustentar consistentemente suas teses. Vale uma busca no Google, ou em obras do gênero, para conhecer mais sobre a biografia deste ícone da ecologia. Gaúcho de Porto Alegre, mas com reconhecida atuação nacional, inclusive, em 1990 foi convidado pelo presidente Fernando Collor de Melo para assumir a pasta do Meio Ambiente.

Neste artigo

Participe da conversa