Desafio rural

Deslocamento no interior do município é sempre um desafio para quem opta pela vida rural

167 0

Retrato - Motociclista em estrada de chão (Copy)

A necessidade de deslocamento no interior do município é sempre um desafio para quem opta pela vida rural. Estradas de terra pedregosas e empoeiradas em dias secos, por outro lado, lamacentas e escorregadias em dias de chuva. A foto registrada na tarde de segunda-feira, dia 10, no interior de Santo Ângelo, é um retrato do cotidiano de muitas famílias que usam a motocicleta para viabilizar o transporte de insumos para a produção familiar no interior do município.
Não se trata de uma atitude de pessoas que tem espírito aventureiro, que gostam de se arriscarem em viagens longas, noturnas e até mesmo em estradas perigosas, mas sim, de trabalhadores rurais que usam motocicleta para baratear a produção familiar e alcançar o sustento dos filhos.
Tanto as motocicletas apropriadas para enfrentar a estrada de chão, quanto os equipamentos necessários se tornam caros e, muitas vezes, fora da realidade destes trabalhadores que estão vencendo o cotidiano de trabalho. Nem mesmo os equipamentos de segurança como capacete e calçado fechado é usado. A foto foi registrada na estrada que dá acesso a Atafana na Barra do São João, próximo da ponte.

Aprender a “ler” o chão à sua frente
Reproduzimos um trecho retirado do site G1 que aconselha atenção a mudança de terreno. Um motociclista tem a tarefa aprender a “ler” o chão à sua frente e saber se comportar ao guidão conforme o caso. No asfalto liso e seco não há problemas. Porém, asfalto brilhando demais faz a moto reagir de um jeito, asfalto claro demais, de outro, rugoso demais, outro ainda. E o que dizer dos pisos de paralelepípedo, cascalho, das “estradas de chão” ou de rodar nas cidades praianas onde areia solta é algo comum?
Sair dessa sinuca de bico requer uma e uma só coisa: muuuuita atenção! Olhar sempre para onde sua roda “pisará” é a lei para não se ver de pernas para o ar sem mais nem menos.

Neste artigo

Participe da conversa