Antenas pra que te quero

Esquecemos temporariamente que elas existem, mas o enquadramento permite quantificar o uso destes acessórios em nosso cotidiano

178 0

Retrato cotidiano das antenas (7) (Copy)A foto foi registrada na zona norte do município de Santo Ângelo no horário que o sol se põe no horizonte. O contorno da luz permite o nítido registro fotográfico de diversas antenas e caracteriza o período contemporâneo em que estamos inseridos.

Esquecemos temporariamente que elas existem, mas o enquadramento permite quantificar o uso destes acessórios em nosso cotidiano e aguçar nossa percepção para o atual modo de vida.

A popularização da internet, TV digital e celulares força uma caótica e desorganizada proliferação de fios em postes e antenas nos telhados, tecnologias que se tornaram “indispensáveis” nas residências familiares.

Elas estão no alto das casas e prédios. As antenas servem para transmitir e também receber ondas eletromagnéticas, alimentam os dispositivos de comunicação com dados que são transformados em textos, imagens e sons, portanto, servem ao mundo das comunicações.

O que são as antenas
“As antenas são um meio para irradiar e receber ondas de rádio. Aplicam-se diversas técnicas de diretividade, onde fatores como a frequência e o ganho desejado são fundamentais para definir seu formato e dimensão”. Isso também significa que as ondas eletromagnéticas estão por toda a parte.

Uma carga elétrica vibrante produz constantemente uma perturbação no espaço. Essa perturbação constante cria no espaço campos elétricos e magnéticos que oscilam com a mesma frequência de vibração da carga: são perturbações autossustentáveis do campo elétrico e do campo magnético que variam no tempo e no espaço.

Foi graças à descoberta das ondas eletromagnéticas que hoje em dia podemos ouvir músicas ou notícias nos rádios, assistir a programas de TV, aquecer alimentos em micro-ondas, acessar à internet e mais uma infinidade de coisas.
As ondas eletromagnéticas resultam da combinação de um campo elétrico e de um magnético que se propagam no espaço.

Neste artigo

Participe da conversa