Saiba mais sobre o “Grande Projeto Missões”

Está em andamento na região das Missões um plano de desenvolvimento regional com base no Turismo. Até 2030 o “Grande Projeto Missões” pretende gerar engajamento em torno das...

533 2

Está em andamento na região das Missões um plano de desenvolvimento regional com base no Turismo. Até 2030 o “Grande Projeto Missões” pretende gerar engajamento em torno das pautas do turismo missioneiro e fortalecer o setor na perspectiva regional.  O projeto prevê o estímulo ao desenvolvimento de ações que beneficiem turistas, setor público e privado e se apoia em grupos interdisciplinares focados na preservação do patrimônio histórico, cultural e arqueológico da região missioneira. 

Grande Projeto Missões logo (Copy)

O “Grande Projeto Missões” possui um fórum permanente de discussões em torno do tema “Missões Jesuíticas”. Uma rede composta por pessoas de diversas áreas do conhecimento, arqueologia, cartografia, história, geografia, comunicação, administração, política, educação, entre outros, que dialogam e trocam informações para fomentar pesquisas, visitas, análises de dados históricos e a organização de materiais informativos.

Álvaro Medeiros de Farias Theisen
Álvaro Medeiros de Farias Theisen

O Coordenador do Grande Projeto Missões é o engenheiro Alvaro Medeiros de Farias Theisen, natural de Santo Ângelo e residente em Porto Alegre, mas que mantém vínculos com várias pessoas da cidade de Santo Ângelo e região, inclusive em São Luiz Gonzaga, terra natal de sua esposa.

No diálogo com outras pessoas, Álvaro percebeu a necessidade de usar a sua experiência profissional acumulada em inovação, gestão de projetos e articulação institucional para auxiliar a Região Missioneira no desenvolvimento da sua história, principalmente como indutora do turismo.

“O Grande Projeto Missões nasceu para sistematizar as ideias e os sonhos relatados por dezenas de pessoas que foram entrevistadas por mim ao longo de um ano. Não havia um projeto que contemplasse os anseios dos moradores, percebi então, que posso contribuir com minha experiência profissional, baseada em desenvolvimento de projetos. Por esse motivo, estou trabalhando para colocar as ideias e sonhos dos missioneiros no papel”, revelou Álvaro ao falar como surgiu o Grande Projeto Missões.

Álvaro já comemora algumas conquistas como a reserva de recursos no orçamento da União para a realização dos acessos asfálticos até os sítios arqueológicos de São João Batista e São Lourenço Mártir, ambos pertencem ao Parque Histórico Nacional das Missões conservado pelo IPHAN e por falta de acessibilidade deixam de receber milhares de turistas todos os anos.

No dia 29 de abril, dia do aniversário de São Miguel das Missões, existe a possibilidade do Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto visitar a região. Nesta ocasião Álvaro pretende entregar, nas mãos do Ministro, uma pauta de reivindicações que atenda os anseios da comunidade regional. “É uma oportunidade que acontece poucas vezes na década. Desta forma, é importante que tenhamos uma pauta de reinvindicações consistente e bem estruturada para apresentar a ele” disse o Engenheiro ao cobrar engajamento dos prefeitos e lideranças do turismo regional.

O Grande Projeto Missões deposita esperanças na aprovação da Lei em tramitação na Assembleia Legislativa que cria a o “Pro-Missões”, segundo Álvaro esta política pública injetaria R$ 20 milhões de reais, anualmente, para execução de projetos relacionados com o tema Missões Jesuítico-Guarani, ao final de 10 anos, seriam 200 milhões.

Outra atividade já iniciada é o projeto de estímulo ao ensino do tema missões jesuítico-guarani nas escolas da região. Esta pauta visa assegurar que as futuras gerações possam preservar os patrimônios arqueológicos por conhecer o seu valor histórico. Neste mês, um grupo de trabalho já se reuniu com a Coordenação da 14ª CRE para discutir o assunto.

Outra iniciativa considerada importante pela coordenação do Grande Projeto Missões é a negociação com o Iphan inerente a restauração e conservação dos quatro sítios arqueológicos que compõe o PHNM – Parque Histórico Nacional das Missões, que tem o objetivo de desenvolver escavações arqueológicas em uma magnitude nunca realizada nas Missões. Conforme relatou o coordenador do projeto, estas obras de arqueologia são fundamentais para o regaste do patrimônio que hoje se encontra enterrado, dentro do mato ou caído, como é o caso de São João Batista e São Lourenço, onde quase 80% das estruturas estão nestas condições.

Edição e reportagem | Marcos Demeneghi

Neste artigo

Participe da conversa

2 comentários

  1. Luiz Alberto Feijó Junior Responder

    São iniciativas como esta que melhoram nosso estado! Muito bom!

  2. Jorge Responder

    Óptimo!!! Es algo que estábamos necesitando. Dios quiera que se extienda a nivel regional incluyendo Paraguay y Argentina. Al ingeniero Álvaro le sobran conocimientos y calidad personal para coordinar exitosamente el proyecto