O potencial turístico das Missões

A singularidade das Missões como produto turístico foi tema do Café & Negócios da ACISA, na voz de José Roberto Oliveira

156 0

Café e negócios 02

Empresários e lideranças santo-angelenses lotaram o auditório da ACISA na manhã de segunda-feira, dia 13
Empresários e lideranças santo-angelenses lotaram o auditório da ACISA na manhã de segunda-feira, dia 13

Café e negócios 06O potencial turístico das missões foi tema de uma palestra proferida por José Roberto Oliveira. Ele palestrou no Café & Negócios da ACISA – Associação Comercial, Cultural, Industrial, Serviços e Agropecuária de Santo Ângelo. O público era basicamente formado por empresários, políticos e lideranças santo-angelenses, que ma manhã de segunda-feira, dia 13, foram instigados a pensar no turismo como ferramenta de desenvolvimento regional e uma fórmula viável de aumentar o PIB da cidade.
José Roberto falou do potencial multiplicador dos recursos que entram no município pela porta do turismo. Ele acredita que possuímos uma história única, que desperta o interesse internacional relacionado à formação sociológica das reduções.
Pensadores iluministas como Voltaire consideraram a experiência dos padres jesuítas espanhóis como o “Triunfo da Humanidade”, pois enquanto a crise humanitária se aprofundava na Europa, com imensa desigualdade social. Nas Missões não havia pobreza e já existia um sistema político semelhante ao que ocorreu depois da Revolução Francesa, movimento que inaugurou a idade contemporânea e todo o desenvolvimento industrial que conhecemos.
“Uma herança fantástica, no entanto desconhecemos a história das Missões e o fascínio que ela desperta no mundo. A Cruz Missioneira tem que entrar no coração de cada um de vocês”, disse José Roberto aos empresários, lembrando que não se está falando de “turismo de prefeitura” e sim de pessoas unidas em torno de novas possibilidades de negócio, pequenas ações do empresariado que podem conquistar as pessoas para o pernoite em nossa cidade e modos de conhecer a nossa história, “que não é de pedras” disse o palestrante.
No entanto, ele acredita que a os turistas que estão em um raio de 200 e 300 quilômetros constituem uma das parcelas que tem o maior potencial de agregar valor ao turismo local, pois 70% do PIB gaúcho está concentrado no eixo Caxias/Porto Alegre e estes turistas não podem ser desprezados.
A liderança da ACISA foi valorizada na palestra. Entidade que ao lado de pessoas interessadas em desenvolver a cidade tem potencial para orquestrar a retomada do desenvolvimento por meio do planejamento capaz de agregar as ações neste setor da economia.

Turismo internacional no RS
Segundo dados consolidados no ano de 2015 entraram no Rio Grande do Sul um milhão de turistas internacionais (1.033,814). Considerando um pernoite e o gasto diário de 66 dólares o impacto econômico dos mais de 850 mil visitantes argentinos, representam o montante de US$ 57.181.053,75.

Número de visitantes
dos países vizinhos:
Da argentina 856.645 – 79,28%
Uruguai: 149.035 – 13,79%
Chile: 28.134 – 2,60%

Neste artigo

Participe da conversa