Caminho das Missões é lançado na Fitur, em Madri

O roteiro é baseado no percurso feito pelos padres jesuítas na América do Sul. Todo o trajeto poderá ser percorrido em aproximadamente um mês pelos turistas. Ministros do...

256 0

fitur-mexico-2017

Comitiva missioneira (Rosane Grabia, Junaro Rambo Figueiredo e José Roberto de Oliveira); ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão; presidente da Embratur, Vinícius Lummertz; ministra de Turismo do Paraguai, Marcela Bacigalupo; Olga Fischer (Paraguai); diretor estadual de Turismo da Setel/RS, Abdon Barreto Filho, entre outras autoridades nacionais e internacionais.
Comitiva missioneira (Rosane Grabia, Junaro Rambo Figueiredo e José Roberto de Oliveira); ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão; presidente da Embratur, Vinícius Lummertz; ministra de Turismo do Paraguai, Marcela Bacigalupo; Olga Fischer (Paraguai); diretor estadual de Turismo da Setel/RS, Abdon Barreto Filho, entre outras autoridades nacionais e internacionais.

Foi exposto no primeiro dia da Fitur, uma das mais importantes feiras do setor de viagens que ocorreu em Madrí, ocorrida entre os dias 18 e 22 deste mês um roteiro baseado no percurso feito pelos padres jesuítas na América do Sul. O ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão, aproveitou para traçar um plano de promoção conjunta e avançar na discussão sobre o livre trânsito de turistas de outras nacionalidades entre o Brasil e a Argentina, com o colega do país vizinho, Gustavo Santos. Beltrão também reuniu-se com representantes da Câmara de Comércio Brasil-Espanha e com o responsável pela elaboração do Caminho das Missões.
Na pauta de intenções, os ministros trataram da divulgação do Caminho das Missões, roteiro integrado entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Beltrão e Santos devem ir juntos ao Vaticano para convidar o Papa Francisco a participar do lançamento da rota em 27 de setembro. Para promover e estruturar todo o roteiro, Brasil e Argentina vão entrar com um projeto no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para captar um financiamento de US$ 100 milhões.
“O turismo cultural/religioso é muito importante para integrar as nações”, comentou José Roberto de Oliveira, representante do Caminho das Missões. De acordo com ele, o público-alvo do roteiro são as igrejas, universidades que estudam o trabalho dos padres jesuítas e a terceira idade. Atualmente o trecho do Caminho das Missões no Brasil já está funcionando e recebe cerca de 50 mil turistas internacionais. “É muito pouco perto do nosso potencial”, garante José Roberto. “Temos um padre argentino e jesuíta. Por que não o convidá-lo a participar do lançamento da rota? ”, questionou.
Representantes a região das Missões, por meio da Associação dos Municípios das Missões (AMM) e Fundação dos Municípios das Missões (Funmissões), estiveram presentes na Feira Internacional de Turismo (Fitur/2017. Rosane Grabia afirmou que a participação da região foi de grande importância. “Recebemos inúmeros profissionais, autoridades e visitantes querendo saber mais sobre este roteiro integrado, que foi a única experiência espanhola em terras brasileiras, fato que chamou bastante atenção da imprensa internacional”, avaliou Grabia.

Neste artigo

Participe da conversa