Sábado 7/01/2012

E depois da morte? Do santo-angelense Dalsin Antunes dos Santos, aposentado do Banco do Brasil, residente em Florianópolis (SC), recebo mensagem digna da nossa reflexão, sobre o fenômeno...

173 0

E depois da morte?

Do santo-angelense Dalsin Antunes dos Santos, aposentado do Banco do Brasil, residente em Florianópolis (SC), recebo mensagem digna da nossa reflexão, sobre o fenômeno morte ou ato desencarnatório. O Espírito André Luiz nos diz: “o que a vida começou, a morte continua”. Para a maioria dos seres humanos, sempre à cata de ilusões, o médium Chico Xavier adverte:
– Sobre a Terra, tudo é ilusão, tudo passa, tudo se transforma de um instante para outro. O que conta é o que guardamos dentro de nós, tudo o mais há de ficar com o corpo, que se desfará em pó.
Acometido de câncer, amigo nosso buscou refúgio na explicação espírita para entender o que ocorre com ele. Começou a pesquisa na literatura espírita, ao mesmo tempo que participava de grupo de estudos de “O Livro dos Espíritos”, a obra fundamental codificada por Allan Kardec, na Sociedade Espírita “Amor ao Próximo”. Outro dia, ouvi dele confissão nunca antes imaginada: – Não tenho mais medo da morte.
Ele está preparado, sem dúvida, para o que der e vier. Agora esse amigo sabe que a morte não existe. Está de acordo com o que nos ensina o inolvidável Chico Xavier, embora continue, é claro,  o tratamento médico especializado:
– Devemos aceitar a chegada da chamada morte, assim como o dia aceita a chegada da noite – tendo a confiança que, em breve, de novo há de raiar o Sol!
Mais dia, menos dia, todos nós retornaremos à vida espiritual, independentemente de idade. Vale a pena, então, ler e reler o que nos diz o doutrinador paulista Richard Simonetti, em palavras repletas de bom senso:
– Não tema a morte. Ela faz parte do processo evolutivo. Viva de maneira prudente, faça o bem que puder e quando soar seu momento, vá sem medo. Mas nunca a busque ou a precipite. Tudo tem seu momento na vida e todos temos algo a fazer num tempo programado. Para aqueles que foram antes, guarde a convicção de breve reencontro e ore pela felicidade deles. Eles receberão a mensagem do seu coração.
Nas sessões públicas do “Amor ao Próximo” sempre há um espaço para ajuda aos entes queridos que hoje vivem no mundo espiritual. Muitos deles ali comparecem para receber a vibração positiva de familiares e amigos. É bem possível que estejam esperando a manifestação carinhosa daqueles que um dia participaram do mesmo grupo familiar. Como salienta o Simonetti, lembre deles, amigo leitor, em clima mental de otimismo e confiança, pois “eles receberão a mensagem do seu coração”.
A FRASE DO CHICO XAVIER – A consciência é o que há de restar de tudo o que somos.                      
pintojung@terra.com.br

Neste artigo

Participe da conversa