Sábado 15/10/2011

O Rádio em Santo ÂngeloQuando menino eu morava na rua Marechal Floriano, 1021, prédio antigo, demolido, endereço onde hoje funciona uma lotérica. No final das tardes, costumava ir...

235 0

O Rádio em Santo Ângelo
Quando menino eu morava na rua Marechal Floriano, 1021, prédio antigo, demolido, endereço onde hoje funciona uma lotérica. No final das tardes, costumava ir para a esquina com Antônio Manoel, para ouvir músicas da Voz Alegre, serviço de alto-falantes, de propriedade de Basílio Antunes, tio do Oliveira Júnior (José Alcebíades de Oliveira). Este, com uns 14 anos de idade, ali ensaiava locução. Hugo Britto era outro dos locutores, como também meu irmão Antonino Pinto Jung. Os três, mais Wilmar Bittencourt Cozzatti, seriam também os primeiros locutores da Rádio Santo Ângelo, da rede das Emissoras Reunidas, fundada por Arnaldo Ballvé.
Com 19 anos, fui admitido por Ely Coelho Marchetti, como redator da então ZYF-6. Acompanhei de perto a programação da emissora. Lembro do programa semanal do maestro Walter Hossfeld, ao piano, acompanhado pelo violino de José Pery Bohrer. A Hora Alemã, que até hoje continua no ar, tinha transmissão diária, sob o comando do professor Fernando Krieger e de sua esposa Lia Krieger. Renato Krieger não deixou a bola cair e mantém o programa no ar. As primeiras apresentações do programa tradicionalista Gravetos do Passado, com o auditório repleto de admiradores, contava com Emanoel Pegy de Castro (Inspetor de Polícia), Maximiano Bogo (Sargento do Exército), sob o olhar atento do patrão Cristiano Batista Kruel (criador, depois vereador, presidente da Câmara Municipal).
O programa de calouros A Hora do Pato, conduzido por Jorge Cury, na Rádio Nacional, do Rio de Janeiro, teve repeteco entre nós, com a Hora do Trilho, animado por Ely Marchetti. Todos os domingos de manhã o Cine-Teatro Municipal lotava, para assistir ao desfile de calouros. Serafim Vargas Colvara, o Sarrafo, conquistava aplausos cantando em inglês, algo inédito para a platéia santo-angelense. Não havia curso de inglês na cidade. O Mr.Bier viria bem mais tarde. Anos depois, o Sarrafo tinha quinze minutos nas manhãs dominicais, para comentar fatos pitorescos, contar piadas, tocar cavaquinho, cantar e mexer com o Herberto Milke, dono da Churrascaria Brasil. O Sarrafo abria o programa, às 8h45min, gritando para o Milke:
– Levanta, gordo, salta da cama, vai fazer fogo para assar o churrasco.
E terminava o espaço convidando os ouvintes para ir à missa das nove, ao mesmo tempo em que passava o microfone para o José Delfino do Nascimento, o seu Cota, presidente da Sociedade Espírita Fé e Esperança, apresentar quinze minutos de divulgação da Doutrina Espírita. Nos domingos de manhã, bem cedo, a Santo Ângelo manteve durante muitos anos a Hora do Agricultor. Ali costumava se apresentar, entre outros,  a dupla Brandão e Brandãosinho (o acordeonista cego Wilmar Ávila Brittes e o violonista Paulo Munhoz). A família Bornes teve intensa participação na programação musical, ao vivo, da Rádio Santo Ângelo. Maria Aparecida e Wilson faziam sucesso cantando, acompanhados pelos irmãos Osmar (o Belém) ao violão e o Milton, no pandeiro.
A FRASE DO CHICO XAVIER – A mediunidade vidente independe dos olhos do corpo físico.

Neste artigo

Participe da conversa