Faixas desativadas voltam a aparecer na Av. Getúlio Vargas

Desgaste na pintura permite que três FTP’s coexistam em menos de 200 metros, causando confusão, indecisão e consequente perigo ao usar as faixas desativadas

83 0

A pintura que cobria faixas de pedestres desativadas na Av. Getúlio Vargas desgasta e elas reapareceram. O fato causa dúvida e insegurança no trânsito, tanto para pedestres, quanto para motoristas que transitam próximo ao Colégio Verzeri em Santo Ângelo.No ano de 2014 a Associação de Pais e Mestres daquela instituição de ensino reivindicou junto ao legislativo e executivo do município uma faixa elevada no meio da quadra, realizando um abaixo-assinado e encaminhando-o ao prefeito. Em março de 2015, finalmente foi implantada a faixa elevada, e consequentemente, as duas faixas de travessia de pedestres localizadas, uma no entroncamento da Rua Roque Gonzáles e a outra no entroncamento da Rua Três de outubro, foram pintadas de preto e eliminadas.

Faixa de Travessia de Pedestre desativada em frente ao Colégio Teresa Verzeri - Foto Marcos Demeneghi
Faixa de Travessia de Pedestre desativada em frente ao Colégio Teresa Verzeri – Foto Marcos Demeneghi

 

No entanto, o tráfego constante de veículos causou o desgaste da pintura, e as faixas voltaram a aparecer, passando a coexistirem três FTP’s em menos de 200 metros, causando confusão indecisão e consequente perigo ao usar as faixas desativadas.

A Faixa de Travessia de Pedestres – FTP – delimita a área destinada a travessia e regulamenta a prioridade de passagem dos pedestres em relação aos veículos. Deve respeitar, sempre que possível, o caminhamento natural dos pedestres, embora não haja obrigatoriedade, quando possível, deve ser implantada onde ofereça maior segurança para a travessia, naquele local optou-se por uma faixa elevada no meio da quadra, por entender que seria a opção que ofertaria maior segurança aos alunos e a comunidade escolar.

Neste artigo

Participe da conversa