“Vidas e formas” na Semana do Meio Ambiente

Peças de automóveis e sucatas de ferro que seriam jogadas no lixo, transformam-se em obras de arte pelas mãos de artesão santo-angelense

62 0

1-i--Exposição no Museu-foto fernando gomesFoi aberta na manhã de quinta-feira, dia 07, no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado, a Exposição de Educação Ambiental “Vidas e formas”, inserida na programação da Semana Municipal do Meio Ambiente. A exposição traz obras em sucata de ferro do artesão Jair Amaral da Silva, o Chiquinho, que há dez anos decidiu transformar lixo em arte e hoje tem suas peças espalhadas mundo afora. O material produzido no ateliê no quintal de casa já foi comercializado para países como o Japão, Austrália, Estados Unidos, Canadá, Argentina e Uruguai.
Para a construção de miniatura de veículos antigos como a Kombi, o jipe, aviões, motos, bicicletas e outras peças, Chiquinho colhe todo o material em lixo de oficinas, como restos de ferro. “É o luxo do lixo. Um trabalho excepcional”, avaliou o secretário municipal do Meio Ambiente, Francisco da Silva Medeiros, na abertura da exposição.
Para Medeiros, a reciclagem é uma forma de responsabilidade para com o meio ambiente, aumentando o ciclo de vida de produtos – como o ferro e a madeira, reaproveitados pelo artesão -, e que, em vez de estar expostos à natureza, transformam-se em ornamentos de alto requinte.
Das mais de mil peças confeccionadas por Chiquinho, os santo-angelenses poderão conferir até o dia 15 de julho, no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado, várias obras em exposição. A exposição é promovida pela Secretaria do Meio Ambiente com apoio da Secretaria da Cultura de Santo Ângelo.

Neste artigo

Participe da conversa