Preservar ou usar como lata de lixo e esgoto?

Ele nasce em território santo-angelense e cruza todo o perímetro urbano, isso gera uma série de atitudes contraditórias e a discussão sobre o nosso modo de vida

161 0

Rio Itaquarinchim - Rua Alfredo Leopoldo Fett é utilizado de forma irregular como depósito de lixo - Foto - DivulgaçãoO Contexto do Itaquarinchim está na pauta da cidade e também do Estado. Ele nasce em território santo-angelense e cruza todo o perímetro urbano, isso gera uma série de atitudes contraditórias e a discussão sobre o nosso modo de vida.
Sendo breve, é possível afirmar que o potencial do Itaquarinchim está no manancial hídrico e no ecossistema que se forma em suas margens, mas o que chama a atenção é o comportamento dos habitantes da cidade, enquanto uns preservam suas margens, como se fosse a extensão de seus quintais, outros disfarçadamente introduzem o esgoto doméstico na tubulação pluvial. Há aqueles que pagam para ser feita a limpeza de seus pátios e não se interessam em saber para onde o lixo será destinado.
Contudo, nesta semana a Secretaria de Meio Ambiente está fazendo ações de limpeza, os escoteiros o plantio de árvores e o projeto estudantil “O rio que eu quero” representará o Estado, em Brasília, na V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente que acontecerá de 15 a 19 de junho.

SEMA
As equipes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMMA) realizaram a limpeza e poda de manutenção às margens do Rio Itaquarinchim na Rua Alfredo Leopoldo Fett e na Avenida Brasil, Bairro Ghellar.
Francisco Medeiros, secretário do Meio Ambiente, lamentou a situação em que as margens se encontram. Segundo o secretário, a área foi limpa na quinta e na sexta-feira e neste início de semana já havia pneus e outros produtos descartados, depositados clandestinamente às margens do rio.
A execução de poda de árvores no canteiro central da Avenida Brasil, no acesso ao Bairro Ghellar, de acordo com o secretário do Meio Ambiente, vai ampliar a visibilidade da câmera de videomonitoramento instalada no local que, além de aperfeiçoar a questão da segurança para os moradores, passa a servir também como inibidor e/ou como ferramenta para flagrar o descarte irregular de lixo.

O Rio que eu quero
O estudante da Escola Técnica Estadual Presidente Getúlio Vargas, Samuel Maciel será um dos delegados que participarão da Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente em Brasília. Ele apresentou o projeto fase estadual foi realizada nos dias 08 e 09 de maio de 2018, em Porto Alegre, onde obteve sucesso na classificação.
A Conferência Nacional é o encontro nacional das delegações estaduais para realização de oficinas, atividades culturais e diálogos sobre o tema “Água”, a partir dos projetos de ação selecionados nas etapas Estaduais. Serão aproximadamente 460 delegados e delegadas, entre 11 e 14 anos, de todo país, que já debateram o tema em suas escolas e nas Conferências Estaduais.

Neste artigo

Participe da conversa