Florada roxa ordinária dos ipês de Santo Ângelo

O fenômeno é comum nos meses de agosto e setembro e o despertar da exuberante floração roxa depende do panorama climático.

487 0
Ipê Roxo na Travessa Augusto Nascimento e Silva, junto a Catedral Angelopolitana Foto: Marcos Demeneghi
Ipê Roxo na Travessa Augusto Nascimento e Silva, junto a Catedral Angelopolitana Foto: Marcos Demeneghi

O colorido dos ipês, em especial o roxo, ornamenta o espaço público da cidade de Santo Ângelo nesta semana. O fenômeno é comum nos meses de agosto e setembro e o despertar da exuberante floração roxa depende do comportamento climático, mas em geral, ocorre no início de agosto ou mais tardar pouco antes da primavera, junto com os ipês amarelos que demoram um pouco mais para iniciar a brotação.

A constatação é possível pela consulta do arquivo de fotografias do Jornal O Mensageiro, que todos os anos faz registros do cotidiano da cidade e por meio das datas de cada foto foi possível perceber que a época de floração coincide, no entanto, com variações dentro deste período.

Os Ipês que mais se destacam na área central da cidade nesta semana, pelo número de exemplares concentrados no mesmo passeio público, estão na Rua Três de Outubro, na Av. Brasil, e na zona norte na Av. Venâncio Aires, próximo ao quartel.

Mas basta um olhar atento ao andar cotidianamente pela cidade para observar que eles estão espraiados por todos os lugares, onde emprestam suas cores que se destacam com o azul ou cinza dos dias.

Normalmente o início do fenômeno de floração dos ipês é registrado na primeira quinzena de agosto e segue até a florada dos Ipês Amarelos. Em geral, os amarelos florescem um pouco depois dos roxos. Mas já registramos ipês roxos e amarelos floridos nos mesmos dias em Santo Ângelo.

Em 2019 a RGE, por meio do programa Arborização Mais Segura plantou mais 150 mudas de ipês no espaço público de Santo Ângelo (de ambas as cores).

Edição | Marcos Demeneghi

Neste artigo

Participe da conversa