Esgoto: O que acontecerá com quem pode tratar e não trata?

Em Santo Ângelo cerca de 80% da população não envia o esgoto doméstico para tratamento, 70% não possui rede disponível e 10%, mesmo tendo a rede disponível não...

100 0
Esgoto de pia ou banheiro ligada diretamente na Boca de lobo de modo irregular
Esgoto de pia ou banheiro ligada diretamente na Boca de lobo de modo irregular

Em Santo Ângelo cerca de 80% da população não envia o esgoto doméstico para tratamento, 70% não possui rede disponível e 10%, mesmo tendo a rede disponível não faz a ligação até a caixa de calçada. Para minimizar os danos ambientais causados pela inadequada destinação do esgoto doméstico produzido pela população de Santo Ângelo, está em andamento um projeto piloto no Rio Grande do Sul chamado

“Cobrança pela Disponibilidade”. 

Quem mora onde existe rede de esgoto será notificado e terá que pagar mensalmente a taxa de tratamento, mesmo que não esteja ligado na rede. No contexto local, famílias usam a fossa séptica, fossos negros e também existem ribeirinhos que despejam o esgoto diretamente em riachos e córregos.

Apenas 20% da população usa a rede de esgoto em Santo Ângelo. A estimativa foi realizada com base nos dados oficiais e atualizados da Corsan. A Companhia presta serviço para 31.399 famílias em Santo Ângelo e apenas 9.213 contam com rede estruturada em frente de casa, além da cobertura ser deficitária, 2.975 famílias que já poderiam destinar o esgoto para a estação de tratamento não fazem uso do serviço e toda esta água poluída, ou parte dela, vai para o subsolo ou para o Rio Itaquarinchim sem tratamento.

Mas o problema ambiental existente em Santo Ângelo pode ser ainda maior, existem ainda as ligações clandestinas de esgoto doméstico que estão ligadas diretamente no esgoto pluvial, tubulação que leva a água da chuva direto para o Rio Itaqurinchim e demais riachos e córregos que fazem parte da bacia. Por este motivo que as bocas de lobo exalam mau cheiro em varias partes da cidade.

O Superintendente Regional da Corsan, João Corim, explica outro erro cometido pelos usuários, “muitas pessoas conectam a tubulação da calha que recolhe a água da chuva na rede de esgoto, contaminando a água da chuva sem necessidade”, alertou Corim ao falar sobre o modo usual que as pessoas e construtores adotam em muitas residências.

Ilustração elaborada pela Corsan para mostrar o modo correto de realizar a ligação de esgoto pluvial e cloacal
Ilustração elaborada pela Corsan para mostrar o modo correto de realizar a ligação de esgoto pluvial e cloacal
Neste artigo

Participe da conversa