Sábado 21/01/2012

Novo Hamburgo IA vitória magrinha do Internacional diante do Novo Hamburgo foi sem brilho, modesta e suada. O time de Dorival Junior sentiu principalmente na segunda etapa os...

540 0

Novo Hamburgo I
A vitória magrinha do Internacional diante do Novo Hamburgo foi sem brilho, modesta e suada. O time de Dorival Junior sentiu principalmente na segunda etapa os efeitos do início da temporada e a falta de ritmo. O ataque, que é considerado o ponto forte da equipe, deixou a desejar. Dagoberto e Damião tiveram atuações abaixo do esperado. O destaque da partida ficou com Oscar. Muita movimentação e participação. Foi dele a autoria do único gol do jogo.
O sistema defensivo funcionou bem. Moledo e Índio não vacilaram e controlaram com eficiência as investidas do adversário. Valeu pelos três pontos. Na próxima quarta feira diante dos colombianos, o colorado tem um jogo decisivo. Terá que suar e jogar bem mais para superar seu concorrente.
Novo Hamburgo II
Repasso acreditando que tudo deveria ser alegria, fraternidade e educação. Em um supermercado de Novo Hamburgo, na fila do caixa, um senhor era atormentado pelo carrinho de trás empurrado por um menor, sob os olhares complacentes da mãe, a criança empurrava o dito para frente e para trás, tendo como alvo as canelas do cliente.
Com justa irritação, o homem virou para reclamar do menino. E ao dialogar com a mãe do mesmo, chamou a atenção dos demais presentes à fila ao lado. Longe de agradecer e tomar as providências que o caso merecia, a mulher saiu com esta: “Meu filho ainda é pequeno e estou criando ele com liberdade”!  Uma afirmação desta natureza é uma aberração e,  claro, todos se espantaram e aguçaram os ouvidos. O próximo passo seria o cidadão dar um puxão de orelhas no moleque. No moleque, mas quem merecia era a mãe, pensavam… E, aí a surpresa foi geral. Atrás, na fila havia outro homem que resolveu bancar o Papai Noel.
O bom velhinho que educa as crianças e exempla os pais quando necessário. Pois este, sem maiores delongas, abriu a embalagem de ovos, tirou um deles e encostou-o na cabeça da dita dama esmagando-o. Espantada com a ação, a clara e a gema escorregando pelos seus cabelos, a mulher virou-se para trás aos gritos: “Mas o que o senhor está pensando”? E o cidadão, comprazido: “Eu também fui criado com liberdade”. E então como pano de fundo desta história, a plateia iniciou uma salva de palmas, enquanto a mulher deixando seu carrinho para trás, fugia em direção ao estacionamento do supermercado.  
Resumindo: Não confunda liberdade com má criação e desrespeito!
Aprendendo
É prazeroso conviver com amigos experientes, cultos e de boa cabeça. Terça-feira estávamos em mais um batepapo na sede campestre do Clube Gaúcho. Debatíamos diversos assuntos, entre eles a seca que assola nosso estado, principalmente a região das missões.  Este tema discutido predominou em nossa mesa.
Foi unânime entre nós que as dificuldades não serão poucas. A falta de chuvas e consequentemente o prejuízo nas lavouras de milho e soja refletirão negativamente no comércio e no bolso da maioria dos cidadãos gaúchos. Mas a vida segue, e nós a cada dia vamos aprendendo coisas novas.
Eu, particularmente, guardei as sábias palavras do amigo Lauri Muller. O Lauri nesta nossa conversa disse uma realidade: “Não adianta nada nós nos estressar com coisas que não podemos resolver. Independe de nosso trabalho e vontade. O fim da estiagem só Deus poderá solucionar. Com ou sem estresse, não podemos fazer absolutamente nada”.  
Pensamento
“Educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos”. (Pitágoras)
*Um ótimo e abençoado final de semana!

Neste artigo

Participe da conversa